Códigos de operação da Caixa, o que é?

Ele indica se é conta corrente ou poupança. Veja como identificar os códigos de operação da Caixa.

Os códigos de operação da Caixa mais comuns são: 001 (conta corrente) e 013 (poupança), os dois para pessoas físicas. Veja o que significam e para que servem os códigos de operação desta instituição bancária.

A Caixa Econômica Federal, que está completando 160 anos de existência em 2021, oferece diferentes tipos de produtos e contas para os clientes. O código de operação da Caixa nada mais é que a identificação do tipo de conta, para organizar as transações financeiras dos correntistas.

A numeração dos códigos de operação da Caixa pode parecer complicada. Afinal, cada cliente é identificado por diversas séries numéricas. É importante memorizar o número completo da conta (ou anotá-lo em local seguro), porque, sem o cartão (que pode ser furtado ou perdido), o número da conta deve ser informado para operações na boca do caixa.

Atualmente, a Caixa está alterando a identificação das contas, mas os cartões de números atuais permanecem válidos. Não há necessidade de troca antes do final do prazo de validade.

Códigos de operação da Caixa, o que é?

Os números nos cartões da Caixa

A numeração que aparece em destaque nos cartões da Caixa (débito, crédito, etc.) é necessária apenas para compras online.

São quatro séries de quatro dígitos, que devem ser informados apenas em sites seguros, que são identificados por uma implementação do protocolo HTTP (hyper text transfer protocol). Os sites seguros vêm com um “S” a mais (HTTPS), que significa exatamente “secure”.

Abaixo do nome do titular da conta, são informados:

  • número da agência Caixa – quatro dígitos;
  • código de operação – três dígitos;
  • número da conta – oito dígitos seguidos pelo DV (dígito de verificação).

Os números à esquerda do “número da conta” são preenchidos com zeros, até completar a sequência de oito dígitos. Nas operações online e no autoatendimento, é necessário informar a numeração completa.

Os códigos de operação da Caixa

Os códigos de operação da Caixa são importantes, porque, sem eles, não é possível realizar nenhuma transação financeira na Caixa, seja presencial, seja online. Quando o cartão é inserido em um terminal ou maquininha de cartão, a leitura é automática, realizada através do chip.

Mas quando é necessário realizar depósitos e transferências, o código de operação deve ser digitado pelo responsável pela transação. A exceção fica por conta do Pix, em que as transações necessitam apenas da chave cadastrada, que pode ser o número de telefone, CPF, e-mail ou mesmo uma chave aleatória.

Vale lembrar que as movimentações financeiras através do Pix são instantâneas em qualquer horário e dia da semana.

Os códigos de operação da Caixa, sempre com três dígitos, transmitem informações valiosas. Eles indicam:

  • se o cliente é pessoa física ou jurídica (empresa);
  • se a conta é corrente, salário, poupança ou poupança digital (Caixa Tem).

Os principais códigos são os seguintes:

  • 001 – contas correntes de pessoas físicas (registradas no CPF);
  • 003 – contas correntes de pessoas jurídicas (empresas registradas no CNPJ);
  • 013 – contas de poupança de pessoas de pessoas físicas;
  • 022 – contas de poupança de pessoas jurídicas;
  • 023 – contas da Caixa Fácil;
  • 037 – conta salário.

A Caixa Fácil é uma conta de poupança simplificada, movimentada na agência em que foi aberta. Esta modalidade tem um teto de depósitos limitados a R$ 3.000 e é destinada principalmente aos usuários de benefícios sociais, como Bolsa Família.

Outros códigos de operação da Caixa menos utilizados são os seguintes:

  • 006 – entidades públicas (órgãos governamentais, etc.);
  • 007 – depósitos para instituições financeiras (Banco do Brasil, Itaú, Bradesco, etc.);
  • 028 – poupança de crédito imobiliário;
  • 032 – contas de investimentos para pessoas físicas;
  • 034 – contas de investimentos para pessoas jurídicas;
  • 043 – depósitos lotéricos;
  • 131 – poupança integrada Caixa.

A poupança de crédito imobiliário é um investimento específico, através do qual os correntistas economizam um valor preestabelecido (em um prazo também estipulado pela Caixa), antes da assinatura de um contrato de financiamento da casa própria.

Já a poupança integrada Caixa é um produto oferecido apenas para quem já tem conta na Caixa, que pode inclusive ser uma conta salário. Com ela, o correntista pode realizar depósitos mensais programados. Com a redução dos rendimentos da poupança, no entanto, esta modalidade tem sido pouco utilizada.

Para realizar transferências, é preciso ter o código de operação da Caixa, o número da agência e da conta do destinatário e o CPF ou CNPJ. Todos estes números precisam ser informados nas transferências entre contas da Caixa, TED e DOC (operações para outras instituições bancárias).

Ao realizar uma transferência ou depósito bancário, é necessário informar:

  • número do banco (no caso da Caixa, é o 104);
  • código de operação;
  • número da conta (com o dígito de verificação);
  • CPF (ou CNPJ, no caso de empresas) do destinatário.

Ao digitar estas sequências nos terminais de autoatendimento, o sistema informa automaticamente o nome do correntista. É uma forma eficiente de identificar se o depósito ou transferência está sendo encaminhado corretamente.

Veja também:
Como rastrear cartão Caixa e acompanhar a entrega?
Transferência de Caixa para Caixa cai na hora?

Informações importantes

• Sempre que for realizar uma transação financeira, tenha sempre em mãos os dados do beneficiário dos depósitos e transferências (nome completo, número da agência, da conta – com o dígito de verificação – e o código de operação da Caixa).

• Não se esqueça de que, nas operações entre bancos diferentes (por exemplo, você, cliente da Caixa, quer fazer um depósito para um cliente do Santander), é necessário informar também o número do banco e o CPF ou CNPJ do destinatário.

• Se você é cliente da Caixa, lembre-se sempre de informar o código de operação para os pagadores, a fim de que os depósitos sejam feitos corretamente.

– Os números das contas informadas podem ter menos dígitos do que o terminal de autoatendimento ou o netbanking exigem. Neste caso, é preciso completar com zeros à esquerda. Por exemplo, se a conta informada for 135 e o banco exige seis dígitos, informe “000135”.

Números de bancos

Os números das principais instituições bancárias brasileiras são os seguintes:

  • 001 – Banco do Brasil;
  • 003 – Banco da Amazônia;
  • 004 – Banco do Nordeste do Brasil;
  • 007 – BNDES;
  • 021 – Banestes;
  • 033 – Banco Santander;
  • 037 – Banco do Estado do Pará;
  • 041 – Banrisul;
  • 047 – Banco do Estado de Sergipe;
  • 062 – Banco Múltiplo Hipercard;
  • 069 – Banco Crefisa;
  • 070 – Banco de Brasília (BRB);
  • 077 – Banco Inter;
  • 091 – Unicred Central;
  • 102 – XP Investimentos;
  • 104 – Caixa Econômica Federal;
  • 136 – Unicred Cooperativa;
  • 174 – Financeira Pernambucanas;
  • 208 – Banco BTG Pactual;
  • 212 – Banco Original;
  • 237 – Banco Bradesco;
  • 237 – Next (é o mesmo número do Bradesco);
  • 254 – Paraná Banco;
  • 260 – Nubank;
  • 290 – PagSeguro;
  • 300 – Banco de La Nación Argentina;
  • 318- Banco BMG;
  • 323 – Mercado Pago;
  • 341 – Itaú-Unibanco;
  • 348 – Banco XP;
  • 422 – Banco Safra;
  • 487 – Deutsche Bank;
  • 505 – Banco Credit Suisse;
  • 623 – Banco Pan;
  • 655 – Neon Pagamentos;
  • 739 – Banco Cetelem;
  • 745 – Banco Citibank;
  • 748 – Cooperativa Sicredi;
  • 752 – Banco BNP Paribas;
  • 756 – Bancoob.