Trégua de Natal: O dia que a primeira guerra parou para celebrar o Natal

No início do dia 25 de dezembro de 1914, durante a Primeira Guerra Mundial, milhares de soldados ingleses, franceses e belgas largaram as armas e saíram de suas trincheiras para passar o natal confraternizando com os inimigos alemães na frente ocidental. A Trégua de Natal se tornou um dos eventos mais famosos e mitificados da Primeira Guerra Mundial. Mas qual foi a verdadeira história por trás da trégua?

Tropas alemãs e britânicas celebram o Natal juntas durante um cessar-fogo temporário na Primeira Guerra Mundial, conhecida como Trégua de Natal. Foto: Mansell – The Life Picture Collection / Getty Images

Onde a trégua de Natal aconteceu?

A trégua ocorreu ao longo da frente ocidental da França, onde os alemães estavam combatendo os britânicos, franceses e belgas. Foi um cessar-fogo não oficial. Na maioria dos lugares, os soldados concordaram em parar de lutar em uma trégua temporária para comemorar o Natal.

Como a trégua começou?

Na maioria das áreas do conflito, a trégua de Natal começou quando as tropas alemãs começaram a acender velas e cantar canções natalinas. Logo as tropas inimigas cruzaram as trincheiras e começaram a se juntar e cantar suas próprias canções de Natal. Os soldados inimigos começaram a se encontrar para trocar presentes e lembranças.

Segundo relatos de alguns soldados que viveram esse acontecimento, a iniciativa de cessar-fogo partiu dos alemães, que indicaram para os ingleses que não iriam atirar a partir da meia-noite do dia 25, se eles também não atirassem.

O que os soldados fizeram?

Por se tratar de um cessar-fogo não oficial, o comportamento foi diferente em vários lugares da linha de combate. Em algumas áreas, os soldados simplesmente pararam de lutar durante o dia. Em outras áreas, eles concordaram em permitir que os outros recuperassem seus mortos. No entando, em alguns pontos, quase parecia que a guerra tinha terminado. Soldados de ambos os lados se encontravam e conversavam um com o outro. Trocaram presentes, compartilharam comida, cantaram e até jogaram uma partida de futebol.

Consequências da Trégua de Natal

Depois de 1914, os Altos Comandos de ambos os lados da guerra tentaram impedir qualquer trégua acontecesse novamente. Apesar disso, houveram alguns incidentes isolados de soldados realizando breves tréguas no final da guerra, e não apenas no Natal.

A Trégua de Natal foi um breve e espontâneo cessar-fogo que se espalhou pela Frente Ocidental no primeiro ano da Primeira Guerra Mundial. Ficou conhecido como um símbolo de paz na Terra e boa vontade para com os humanos, muitas vezes carentes não apenas na frente de batalha, mas em nossas vidas cotidianas.

O Museu e Memorial Nacional da Primeira Guerra Mundial, que fica na cidade de Kansas, nos EUA, publicou uma galeria on-line com centenas de relatos sobre as tais tréguas de Natal, cartas de soldados que foram publicadas em jornais britânicos. Entre eles, o relato emocionante do soldado Leon Harris, do 13º Batalhão, Regimento de Londres (Kensington):

“Este foi o Natal mais maravilhoso que eu já fiz. Estávamos nas trincheiras da véspera de Natal e, por volta das oito e meia, o disparo estava quase parado. Então os alemães começaram a gritar para nós, “um feliz Natal” e começaram a colocar muitas árvores de Natal com centenas de velas nos parapeitos de suas trincheiras. “

Receba atualizações do Blogadão no seu email,
ganhe brindes e participe de promoções!
É gratuito!

Comente no Facebook

Comente