Seychelles – para quem quer um clima romântico

As Ilhas Seychelles são um grupo de arquipélagos no oceano Índico ocidental, a norte e sudeste de Madagáscar. Além das Seychelles propriamente ditas, esta nação, única do continente africano que possui um IDH (Índice de Desenvolvimento Humano) alto, é composta pelos arquipélagos Amirante, Farquhar e Aldabra, além de várias outras ilhas isoladas. Hoje, as ilhas são visitadas principalmente por casais em lua de mel, principalmente depois que o príncipe William, do Reino Unido, e sua mulher Kate visitaram o país logo após o casamento real.

As ilhas foram avistadas pela primeira vez em 1502, pelo navegante português Vasco da Gama, que cruzou as ilhas. A Inglaterra ocupou as Seychelles, juntamente com as vizinhas Ilhas Maurício, em 1814. Em 1976, o arquipélago tornou-se uma nação soberana. Hoje, é um país socialista, com economia fortemente planificada. Mas a forte vocação turística faz com que o país seja aberto a viajantes do mundo todo. O turismo responde por 70% do PIB do país.

Os arquipélagos são formados por dezenas de ilhas graníticas, cercadas por centenas de ilhas e ilhotas de corais. Na maior ilha granítica, Mahé, fica a capital, Vitória. O clima é tropical úmido. O principal período de chuvas ocorre entre março e maio. Na costa de Mahé, o nível de precipitação é de 2.800mm anuais.

As Ilhas Seychelles são líderes mundiais em turismo sustentável. A legislação verde é muito ampla, garantindo um ambiente natural muito bem preservado. Ao contrário de outras ilhas colonizadas pelos europeus, o desmatamento nas Seychellles foi muito pequeno, o que garantiu a preservação de diversas espécies vegetais e animais endêmicas.

O país tem uma vasta rede hoteleira, com dezenas de hotéis de luxo. A infraestrutura de transporte é excelente. As praias mais visitadas estão na ilha de Mahé, mas em todas as ilhas graníticas há praias de areias brancas e águas cristalinas: Praslin, La Digue, Silhouette e Curieuse e muitas outras. Corais cercam este conjunto de ilhas, formando dezenas de piscinas naturais, muitas delas isoladas, o que favorece o clima romântico. Em Mahé, o Parque Nacional pede uma visita tranquila, é pode-se escalar os montes do centro da ilha, que descortinam mirantes de sonho.

Os passeios de barco, que podem ser alugados em qualquer praia, são mais um convite ao namoro e à intimidade. Mergulhar nos recifes é uma experiência incrível.

Não há voos diretos do Brasil. É preciso deslocar-se para Roma, Paris ou Londres e lá embarcar num voo para o arquipélago. O visto de entrada pode ser obtido na chegada ao aeroporto, para estadas de até 30 dias. É preciso apresentar o passaporte, com no mínimo sete meses de validade, passagem aérea de volta, reserva de hotel e comprovante de renda (cartão de crédito internacional com o extrato os cheques de viagem). Recomenda-se a vacina contra febre amarela, dez dias antes do embarque.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *