Como reativar a conta do Instagram?

Cansou da rede social, mas depois se arrependeu? Veja como reativar a conta do Instagram.

O Instagram é uma rede social online para compartilhamento de vídeos e fotos entre os usuários. Antes de falar sobre como reativar uma conta do Instagram, é importante saber que há diferenças entre excluir definitivamente e apenas suspender temporariamente a presença na rede.

Lançado em 2010, inicialmente apenas para iPhone e iPad, o aplicativo, que integra o Facebook (assim como o WhatsApp), atualmente está disponível também para os sistemas Android e Windows Phone.

O Instagram interage com alguns recursos de outras redes sociais, como Twitter, Flickr e Tumblr, além, é claro, do Facebook. Curiosamente, o aplicativo para computadores (laptops e desktops) é mais bem aceito entre os usuários do Windows; a Apple fica em terceiro lugar, atrás inclusive do sistema Linux.

reativar conta no instagram

Como reativar conta do Instagram

Os internautas que decidem reativar uma conta do Instagram que foi temporariamente suspensa podem voltar a navegar nesta rede social com relativa facilidade. Por outro lado, não se pode dizer o mesmo dos que cancelaram definitivamente a conta.

A reativação não precisa de muito trabalho. Basta acessar o site www.instagram.com, digitar login e senha e entrar normalmente. A conta poderá ser usada sem problemas, mas a rede social pode apresentar um formulário eletrônico para entender os motivos da ausência. Trata-se de um questionário utilizado apenas para fins estatísticos.

O login geralmente é feito com o e-mail do usuário do Instagram. Caso você não consiga reativar a conta imediatamente, provavelmente está digitando o e-mail incorreto.

Muitos internautas também esquecem a senha que cadastraram quando acessaram a rede pela primeira vez, porque os navegadores (Chrome, Edge, Firefox) costumam memorizar as senhas para facilitar a vida virtual.

Os esquecidos também não encontram grandes problemas. Basta clicar em “esqueci a minha senha” e seguir o passo a passo sugerido pelo Instagram:

  • informar o e-mail cadastrado;
  • responder à pergunta chave;
  • informar um e-mail alternativo;
  • conferir a caixa postal – o Instagram envia um código especial para o endereço eletrônico indicado;
  • digitar o código e reativar a conta.

Se isso não der certo, a página inicial do Instagram oferece o tópico “ajuda e suporte”. Clique na aba e siga as instruções para reativar a conta. A rede social costuma fazer uma série de perguntas sobre informações prestadas no momento da inclusão da conta, para certificar-se de que não é uma tentativa de invasão.

Contas do Instagram excluídas

Os internautas que decidem excluir definitivamente a conta do Instagram seguem um caminho sem volta. Felizmente, não é possível excluir a conta por engano, clicando inadvertidamente em algum ícone da página inicial da rede social.

A exclusão só é possível por meio do navegador (no computador, celular ou tablet). Não é possível excluir a conta do Instagram a partir do aplicativo baixado das lojas, como App Store e Google Play.

É necessário acessar a conta. Imediatamente, o usuário é encaminhado para a própria timeline. Depois disso, é preciso clicar em “editar perfil” (ao lado da imagem de perfil) e clicar em “desativar conta temporariamente”.

Este é um procedimento que impede a recepção de mensagens encaminhadas por outros usuários do Instagram. Para cancelar a conta definitivamente, é preciso refazer todo o processo e, desta vez, clicar em “cancelar conta”.

Ainda assim, este não é o último capítulo da novela. O Instagram ainda pede que o usuário selecione os motivos por que está deixando a rede social definitivamente. O usuário precisa digitar a senha novamente e só então a conta é totalmente cancelada.

Não há como recuperar os dados (imagens, comentários, curtidas e compartilhamentos) depois do cancelamento definitivo. Portanto, quem quer “dar um tempo”, deve apenas suspender temporariamente.

As informações permanecerão ocultas para outros internautas até a reativação da conta e o nome ou apelido do usuário nem sequer aparecerá nas relações de seguidores. Não há como interagir com as contas suspensas temporariamente. É a melhor maneira de ficar incógnito, para quem decide, por qualquer motivo, se afastar das redes sociais.

Sobre o Instagram

A rede social nasceu com uma característica exclusiva: todas as fotos postadas pelos usuários eram exibidas no formato quadrado, o mesmo das fotos impressas em papel comuns nos anos 1960, no Brasil. Os vídeos originais tinham um limite de 15 segundos de duração.

Apenas a partir da versão 7.5, lançada em agosto de 2015, as imagens passaram para o formato 16:9 – o mesmo das telas de cinema e das atuais televisões brasileiras. Em janeiro de 2016, os internautas começaram a postar vídeos de até 60 segundos de duração.

O Instagram chegou à internet em outubro de 2010, lançado pelos sócios Kevin Systrom e Mike Krieger Jr., com um aporte de US$ 500 mil. Em fevereiro de 2011, os desenvolvedores anunciaram a captação de US$ 7 milhões, por parte de investidores.

Em setembro desse ano, o Instagram contava com quatro milhões de usuários. Na época, a rede era mantida por apenas quatro funcionários, além da supervisão dos dois sócios.

Em 2012, o Instagram foi disponibilizado também para os usuários da plataforma Android, pertencente ao Google – em apenas um ano, o Instagram atingiu a marca de um milhão de downloads no Google Play.

No mundo inteiro, em julho de 2012, o Instagram totalizava 80 milhões de usuários. Em apenas seis meses, este número saltou para 100 milhões, com postagens originárias inclusive da Coreia do Norte, considerado um dos países mais fechados do mundo.

No final de 2013, o Instagram passou a ser disponibilizado para os usuários do Windows Phone, ainda na versão beta. Em outubro de 2015, foi lançado o Boomerang, que permite transformar dez fotos em sequência em um vídeo, com resolução semelhante à de um GIF.

Em agosto de 2016, foi lançado o Snapgram – que ficou mais conhecido como Insta Stories. A ferramenta permite a qualquer usuário postar um vídeo de até dez segundos, que é exibido, nas 24 horas seguintes, sempre que algum seguidor clica na foto de perfil.

Em junho de 2018, o Instagram lançou o IGTV, um aplicativo para o upload de vídeos mais longos – um concorrente direto do YouTube, que passou a atrair mais e mais criadores de conteúdo visual.

Em 2019, todos os serviços do Facebook passaram a exibir o subtítulo “From Facebook”. O WhatsApp, Oculus (equipamento de realidade virtual), Messenger e Instagram passaram a assinar o “sobrenome” da empresa.

No Brasil, o Instagram foi bem acolhido. Desde 2015, a presença de brasileiros na rede social é maior do que a média global: 55% dos usuários de internet com IP no país estão cadastrados e ativos no Instagram. Um dado surpreendente: 57% dos internautas brasileiros idosos, entre 55 e 65 anos, compartilham imagens e histórias no Instagram.