Cachorra sem braços rejeitado por 8 anos e devolvido 3 vezes pede uma nova chance

Ela foi devolvida três vezes. Agora, esta cachorra sem braços quer uma nova chance de ser feliz.

Nessie é uma chihuahua que nasceu sem os braços (membros dianteiros) e foi rejeitada pela família logo depois do desmame. Algumas pessoas podem ser bastante cruéis com animais abandonados: a cachorra permaneceu por oito anos no abrigo e foi devolvida por três famílias que tentaram se adaptar a um animal portador de deficiência, mas descobriram que “não tinham jeito”.

Milhares de cães (talvez milhões) são abandonados todos os anos, em diferentes lugares do mundo. Muitos não resistem aos perigos das ruas, outros amargam anos de solidão em abrigos. Mas Nessie queria uma nova chance e a equipe empenhou-se para conseguir fazê-la feliz.

cachorra-sem-bracos-pede-uma-nova-chance

Esta cachorrinha foi recolhida pelo Texas Chihuahua Rescue, uma entidade sem fins lucrativos dedicada ao resgate e tratamento de cães de pequeno porte. De acordo com os especialistas do abrigo, a condição de Nessie é genética, provavelmente derivada de cruzamentos entre cães aparentados entre si.

A adoção

Depois de muitos anos nada promissores, Nessie finalmente encontrou uma família “na medida exata”. Agora, ela é a Srta. McNubbins e vive em Katy, no Texas (sudoeste dos EUA). Os atuais tutores estão muito satisfeitos com a cachorra.

cachorra-sem-bracos-pede-uma-nova-chance

Eles estão igualmente surpresos. Theresa Loyacano, a tutora de Nessie McNubbins, afirma que, se a chihuahua quisesse voar, “ela provavelmente sairia por aí voando”. A cachorrinha é um símbolo de persistência.

A cachorrinha chegou à família quase por acaso. Theresa tinha perdido um companheiro de todas as horas: Sunday, um dachshund que viveu com a família durante 18 anos. A tutora não queria adotar outro animal, até que viu fotografias de Nessie no site do abrigo.

cachorra-sem-bracos-pede-uma-nova-chance

Theresa brinca que “não queria ter um cachorro, mas sentia falta de um cachorro”. Durante alguns meses, ela se contentou em acompanhar as peripécias dos pets de amigos, em publicações na internet. Na sequência, a tutora passou a seguir diversos abrigos do Texas.

Então, Theresa conheceu a história de Nessie: o abandono ao nascer, os longos anos no abrigo, as devoluções por falta de adaptação. A tutora, então, começou a pensar na tristeza da chihuahua, sempre colocada em segundo plano.

Theresa refletiu: “Nessie precisa de mim”. E, com esses pensamentos, resolveu visitar o abrigo, pelo menos para oferecer algum conforto para a chihuahua. Ao conhecê-la pessoalmente, porém, a tutora percebeu que estava ocorrendo exatamente o inverso: era ela quem precisava da cachorra.

cachorra-sem-bracos-pede-uma-nova-chance

O cotidiano de Nessie

Impossibilitada de andar como os outros cães, Nessie caminha sobre as pernas traseiras. Para Theresa, ela se locomove como um pequeno canguru. Desde que se adaptou à nova família (além da tutora, a chihuahua está convivendo com outros quatro humanos), ela se sente segura e confortável.

Ainda mais que isso. Considerada “feroz” (na medida em que um animalzinho de 2 kg pode ser tratado desta forma), Nessie mostra ser muito destemida e curiosa. Ela está sempre à frente de tudo. Se ouve algum barulho diferente, não para de dar o alarme, até chamar a atenção.

cachorra-sem-bracos-pede-uma-nova-chance

Nessie é uma cachorra silenciosa. Ela nunca faz estardalhaço, mas faz questão de demonstrar a sua presença e vigilância, especialmente quando estranhos visitam a casa. A chihuahua se coloca em posição de vigilância e acompanha os “forasteiros” o tempo todo.

A cachorrinha vem exibindo os seus dotes de animal de guarda. Ela defende todos os membros da família, ignorando totalmente o porte e as limitações causadas pela deficiência física. Aos poucos, ela foi se tornando absolutamente insubstituível.

cachorra-sem-bracos-pede-uma-nova-chance

É Nessie quem acorda os filhos de Theresa de manhã – e não deixa ninguém se atrasar para a escola. Ela acompanha a mãe adotiva nas tarefas domésticas, vela pelo sono vespertino do pai adotivo e ainda encontra tempo para brincar, correr e explorar o pequeno quintal da casa – para ela, um imenso universo.

Theresa mantém travesseiros e almofadas em locais estratégicos: os “pontos de aterrissagem” de Nessie. Ela passa o dia inteiro saltando de um lugar para outro, sempre se locomovendo sobre as patas traseiras. Às vezes, o impacto no chão, quando ela “pousa”, é excessivo.

cachorra-sem-bracos-pede-uma-nova-chance

O temperamento agitado de Nessie também chamou a atenção dos internautas nas redes sociais. A chihuahua tem uma página própria no Facebook e no Instagram, onde a família posta as aventuras da cachorrinha, que é seguida por mais de 13 mil pessoas.