As incríveis fotos das fronteiras de paz da Europa

Em 14 de junho de 1985, países europeus assinaram um acordo histórico: o Tratado de Schengen, que gradualmente extinguiu as restrições alfandegárias para os cidadãos da Europa (turistas de outros continentes continuam precisam de passaporte e, em alguns casos, de visto de entrada).

Os primeiros signatários do Tratado de Schengen foram França, Alemanha, Bélgica, Holanda e Luxemburgo. Entre 1990 e 2008, outros 21 países aderiram. Outras três nações ainda estão implantando o “fim das fronteiras”. Por serem encraves no território de outros países, Mônaco, San Marino e o Vaticano participam de fato destas fronteiras de paz (um pouco abaladas com o intenso fluxo de refugiados da África e Oriente Médio).

fronteiras-da-paz

O fotógrafo Valerio Vincenzo

O consagrado fotógrafo Valerio Vincenzo decidiu registrar esta verdadeira revolução sociopolítica e, desde 2007, vem desenvolvendo o projeto “Borderline, Frontiers of Peace” (que pode ser traduzido como: “Limite, As Fronteiras da Paz”). Vincenzo é radicado na Holanda, mas passa boa parte do seu tempo na França.

O objetivo do projeto “Fronteiras da Paz” (registrado em livros e exposições), declarado pelo próprio autor, é mostrar uma mudança histórica que vem se desenvolvendo na Europa nas últimas três décadas. Vincenzo mostra as fronteiras europeias sendo lentamente apagadas e chega a afirmar que o Tratado de Schengen foi o primeiro passo para o surgimento de uma consciência europeia.

A União Europeia (UE), que ratificou o tratado, incluindo-o em seu regimento, ganhou o Prêmio Nobel da Paz em 2012. O motivo alegado pelo comitê diretor do prêmio foi que “a UE e as instituições que a precederam contribuíram por mais de seis décadas para a paz e a reconciliação, a democracia e os direitos humanos”.

O fotógrafo armou-se com um GPS e mapas muito detalhados do continente europeu para obter detalhes destas fronteiras atualmente pacíficas, mas que já foram palco das duas guerras mundiais e de muitos outros conflitos bélicos.

Um detalhe curioso: com o tratado, 16,5 mil quilômetros de fronteiras deixaram de ser um obstáculo ou contratempo para os europeus. Contudo, estas passagens, encontradas em países de diversas culturas, têm pontos em comum: não há guichês aduaneiros, portões nem vigilantes. Um viajante menos avisado pode nem perceber que saiu do seu país.

Esperamos que os bons ventos das fronteiras de paz clicadas por Valerio Vincenzo soprem por mais regiões do mundo. Nós precisamos de mais paz – e de guerra nenhuma.

Alemanha - Polônia
Alemanha – Polônia
România - Bulgária
România – Bulgária
Suíça - Itália
Suíça – Itália
Polônia - Lituânia
Polônia – Lituânia
Áustria - Suíça - Alemanha
Áustria – Suíça – Alemanha
Áustria - República Tcheca
Áustria – República Tcheca
França - Alemanha
França – Alemanha
Alemanha - Dinamarca
Alemanha – Dinamarca
República Tcheca - Polônia
República Tcheca – Polônia
fronteiras-frança-belgica
França – Bélgica
Espanha - França
Espanha – França
Eslovênia - Itália
Eslovênia – Itália
Hungria - Austria
Hungria – Austria
Holanda - Alemanha - Bélgica
Holanda – Alemanha – Bélgica
Portugal - Espanha
Portugal – Espanha
Alemanha - República Tcheca
Alemanha – República Tcheca
Suíça - Itália
Suíça – Itália
Letônia - Estônia
Letônia – Estônia
Alemanha - Austria
Alemanha – Austria
Bélgica - Holanda
Bélgica – Holanda
Polônia - Eslováquia
Polônia – Eslováquia
França - Suíça
França – Suíça
fronteiras-polonia-republica-tcheca
Polônia – República Tcheca
Itália - Austria
Itália – Austria
fronteiras-alemanha-polonia2
Alemanha – Polônia

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *