forbrukslån | forbrukslån billigste rente | forbrukslån

Curiosidades sobre o metrô

O metrô é tido como uma das melhores soluções para o transporte urbano. Conheça algumas curiosidades.

Há mais de 160 anos, túneis são escavados para a passagem de trens urbanos. O metrô pode retirar muitos automóveis particulares de circulação, ao menos nos horários de maior movimentando, melhorando a circulação em ruas e avenidas e também reduzindo a emissão de gases tóxicos para a atmosfera. Em áreas urbanas, os motores dos veículos são responsáveis de 50% a 90% da poluição do ar.

Esta é apenas uma das curiosidades sobre o metrô. Projetado apenas para ser um meio de transporte de massa, atualmente, as mais de 140 linhas espalhadas pelas grandes cidades do planeta são um modelo de sustentabilidade – desde que elas realmente unifiquem pontos urbanos estratégicos e sejam confiáveis em relação aos horários, segurança e conforto.

Gosta de Curiosidades? Entretenimento? Vídeos legais? Clique para curtir o Blogadão

curiosidades-metro-2

O planejamento governamental é um ponto fundamental para a implantação e desenvolvimento do metrô. Apenas como exemplo, Pequim (China) e São Paulo deram seus primeiros passos para a implantação de um sistema de trens subterrâneos, de superfície e suspensos nos anos 1960. A capital chinesa ultrapassou a marca de 200 km de linhas, enquanto a capital paulista conta com pouco menos de 80 km.

As maiores malhas

O metrô de Moscou (Rússia) tem 12 linhas, 177 estações, 325 km e transporta sete milhões de passageiros por dia, entre 5h30min e 1h da madrugada.

Em Hong Kong, os habitantes contam com dez linhas, que percorrem 211 km por 155 estações e transportam 3,8 milhões de passageiros por dia, entre 6h e 1h.

Na capital da Coreia do Sul, o metrô percorre nove linhas urbanas e também interliga Seul a Incheon. Existem ainda sete linhas suburbanas e uma para veículos leves sobre trilhos. A cidade conta com 287 km de trilhos e 266 estações, que recebem oito milhões de passageiros diários.

curiosidades-metro-1

O metrô de Madri (Espanha) percorre 284 km (50 km foram construídos em apenas seis anos), por 283 estações. 3,4 milhões de passageiros optam pelos trens urbanos, que circulam das 6h à 1h30min. Três outras linhas circulam como veículos leves sobre trilhos.

No Japão, o metrô de Tóquio opera 14 linhas, percorrendo 286 quilômetros e servindo 282 estações, por onde passam oito milhões de passageiros diariamente. É o quinto do mundo, sendo superado apenas pelas companhias de Nova York, Seul, Londres e Xangai.

O metrô de Nova York (EUA) é uma verdadeira teia de aranha: são 26 linhas e mais de 1.000 km de extensão. Mais de 6,4 milhões de passageiros embarcam a cada dia em suas 468 estações. É o maior do mundo e funciona 24 horas por dia, mas os usuários fazem três reclamações principais: a sujeira, a falta de segurança e a imensa quantidade de ratos que vivem nas galerias.

Em Pequim, o metrô saltou de duas para oito linhas entre 2001 e 2009. São 200 km que interligam 123 estações. 3,6 milhões de passageiros utilizam o serviço diariamente, das 5h à meia-noite.

No metrô de Paris (França): os trens, distribuídos em 16 linhas, percorrem 214 km, com 380 estações debaixo das ruas e avenidas da Cidade Luz. Os passageiros podem embarcar das 5h à 1h.

São Paulo possui cinco linhas (sem contar as rotas terrestres do transporte metropolitano). O metrô paulista, que começou a ser planejado em 1968 e entrou em operação em 1974, com a linha Norte-Sul (que, à época, interligava os bairros do Jabaquara e Santana, atravessando o centro da cidade), tem 67 estações e transporta 4,6 milhões de passageiros a cada dia, por 78,4 km. O horário de funcionamento é das 4h40min à 1h.

Mais curiosidades sobre metrôs

A topografia de São Petersburgo (Rússia) é uma das mais acidentadas entre as áreas urbanas do planeta. Em função desta particularidade, os túneis do metrô da cidade (que já foi chamada de Leningrado, durante o período comunista da URSS) são os mais profundos já escavados para o transporte urbano de passageiros. Algumas estações ficam a mais de cem metros de profundidade.

São Petersburgo era a capital russa durante a era dos czares. Com a Revolução Russa, em 1917, o centro político foi transferido para Moscou e o projeto de construção do metrô foi abandonado por mais de dez anos. A construção foi iniciada em 1940, mas, com o advento da Segunda Guerra Mundial, o metrô sofreu diversos adiamentos e só começou a operar em 1955 (dez anos depois do fim do conflito).

O metrô de Dubai (Emirados Árabes Unidos) é considerado o mais caro e sofisticado de todo o mundo. Considerada a “cidade do futuro”, Dubai não poderia deixar de contar com um sistema de transporte moderno e seguro.

As estações foram projetadas a partir de inspirações futuristas e os trens circulam sem condutores, graças a um complexo sistema de engenharia. Por enquanto, são apenas duas linhas, que não cobrem toda a área urbana, mas se configuram como um “oásis” para moradores e turistas que querem fugir do trânsito – a frota particular cresce dia a dia – e também do calor intenso: a temperatura média, em agosto, ultrapassa os 35,5°C, com picos de mais de 40°C. O clima árido e ventoso contribui para aumentar a sensação de “sufoco”.

O metrô mais lotado do mundo é o de São Paulo. No horário de mais afluência de passageiros, entre 17h e 20h, os trens transportam 785 mil pessoas. São 8,6 passageiros por metro quadrado – a sensação é de ter se transformado em uma sardinha em lata. O metrô paulista chega a transportar dez milhões de pessoas por quilômetro de linha.

Mistérios dos metrôs

Ainda em terras russas, o metrô de Moscou é considerado um dos mais belos do mundo, mas está cercado por lendas. Uma delas contas que, depois da deposição do czar Nicolau II, os operários tomaram ferramentas e abriram os túneis para a circulação dos trens, tarefa impossível, em face do relevo acidentado da região.

Correm rumores de que, no subterrâneo da capital russa, existem estações secretas, verdadeiros bunkers construídos por ordem dos líderes socialistas; o objetivo seria manter esconderijos seguros, no caso de ataques. O mundo vivia em plena Guerra Fria.

Algumas estações de Moscou apenas possuem má reputação. A de Sokol, por exemplo, teria sido construída ao lado de um cemitério para combatentes da Primeira Guerra Mundial (na verdade, ela foi construída bem abaixo das sepulturas).

Maquinistas tentam passar à máxima velocidade pelo trecho e muitos passageiros reclamam de dores de cabeça e de odores desagradáveis. Algumas testemunhas chegam a afirmar que um trem fantasma trafega pela linha circular à meia-noite, apavorando as pessoas que esperam nas plataformas.

O metrô de Londres (Inglaterra), o mais antigo do mundo – a primeira linha foi inaugurada em 1863 – também guarda segredos. Ainda durante a construção, diversos operários alegaram ter encontrado valas comuns para o enterro de vítimas da peste bubônica, que assolou o país no século XVI.

As obras continuaram e muitos entenderam que isto era uma profanação de cadáveres. Em 1960, no entanto, durante a implantação da Linha Vitória, uma escavadora encontrou – e destruiu – uma destas sepulturas coletivas no Green Park, traumatizando operários e transeuntes.

Siga-nos no Facebook
Receba atualizações do Blogadão no seu email,
ganhe brindes e participe de promoções!
É gratuito!

Comente no Facebook

Comente

Receba atualizações no seu email.
Participe de Promoções.