As cobras mais venenosas do Brasil

O Brasil não é feito apenas de carnaval e mulatas. A fauna de serpentes do país é também muito abundante.

Decidir qual animal é o mais venenoso é uma tarefa não muito fácil, já que é preciso documentar a quantidade de incidentes ocorridos, para analisar o que houve após o envenenamento. Algumas cobras são mais perigosas que outras, mas se a mais venenosa tem poucos casos de ataques do que a outra, provavelmente será considerada menos perigosa do que realmente é.

No Brasil as cobras são consideradas bem variadas, representando um dos mais ricos exemplares do mundo. Os ofídios peçonhentos dividem-se aqui em quatro gêneros:

Bothrops

Mais de 85% dos acidentes ofídicos ocorrem por serpentes desse gênero. Ao todo são 20 espécies e em questão de veneno, todas apresentam muitas semelhanças com a jararaca. Normalmente vivem em regiões com mata, no Nordeste, Sudeste, Sul, e regiões do Centro-Oeste. Algumas podem ser encontradas no Sudeste e Minas Gerais. O veneno dessas cobras causa necrose dos músculos, hemorragia, inchaço e dor. É muito importante a administração do soro antiofídico em menos de 4 horas. As espécies mais conhecidas desse gênero são:

· Caiçaca (Bothrops moojeni)

caicaca

· Cotiara (Bothrops fonsecai)

cobra-venenosa-cotiara

· Jararaca (Bothrops jararaca)

cobra-venenosa-jararaca

· Jararaca ilhoa (Bothrops insularis)

cobra-venenosa-jararaca-ilhoa

· Jararaca pintada (Bothrops neuwiedi)

cobra-venenosa-jararaca-pintada

Lachesis

Esse gênero apresenta apenas um exemplar: a surucucu (Lachesis muta). Além de ser a maior cobra venenosa do Brasil, podendo atingir 4 metros, é também uma das que possuem veneno mais poderoso no mundo. Cerca de 3% dos acidentes ofídicos do Brasil ocorrem por meio da surucucu. Normalmente vivem no Norte do Brasil, já que habitam florestas tropicais. Seu veneno causa diarreia, dor, hipotensão, sangramento, bolhas e necrose.

lachesis

Crotalus

Responsáveis por quase 10% dos acidentes ofídicos no país, as serpentes do gênero Crotalus são as cascavéis, conhecidas pelo som de guizo de sua cauda. Quando se movem, essas cobras balançam o chocalho da cauda, produzindo um som característico. O veneno age no sistema nervoso e causa dores musculares, paralisia muscular e respiratória, deficiência renal e pode ocasionar perda de visão. As três espécies mais conhecidas são:

· Cascavel (Crotalus Durissus Cascavella)

cobras-perigosas-cascavel-cascavella

· Cascavel (Crotalus Durissus Collilineatus)

cobras-perigosas-cascavel.collilineatus

· Cascavel (Crotalus Durissus Terrificus)

cobras-perigosas-cascavel.terrificus

Micrurus

Nesse gênero estão presentes as conhecidas e também temidas cobras-corais. A mais conhecida é a coral-verdadeira, e também uma das mais perigosas. A falsa-coral pertence ao mesmo gênero, porém, não é peçonhenta. Ao todo são mais de 15 espécies espalhadas por todo o continente americano. No Brasil habitam principalmente a Bahia, Santa Catarina, Rio Grande do Norte e Rio Grande do Sul. Apesar de ser responsável por apenas 1% de das picadas de cobra no Brasil, das vítimas que não recebem atendimento médico após uma picada, quase 100% morrem. O veneno causa dores musculares, paralisia do diafragma, e morte por asfixia. Apesar da espécie sem veneno, a melhor coisa a se fazer ao encontrar uma cobra coral é afastar-se, sendo peçonhenta ou não. As mais conhecidas são:

· Coral verdadeira (Micrurus corallinus)

coral-verdadeira

· Cobra coral (Micrurus frontalis)

cobra-coral

Vídeo sobre cobras venenosas:

Comente no Facebook

Comente