Top Sobrenomes japoneses – Origem e Significado

Um país milenar, com muitas histórias para contar. Conheça o significado dos sobrenomes japoneses.

As origens do Japão são antigas e imprecisas. Estudos indicam que alguns povos migraram da Sibéria para as ilhas nipônicas no século 3º AEC, na Idade da Pedra Polida. Os habitantes fixos mais antigos são os Yayoi, Kyushu e Jomon. Eles são os ancestrais de quase todos os japoneses.

Os sobrenomes japoneses são populares também no Brasil. Afinal, o país abriga a maior colônia nipônica fora do Japão, entre nikkeis (imigrantes), isseis (primeira geração) e nisseis (segunda geração).

A imensa maioria dos sobrenomes japoneses é derivada da relação entre o homem e a terra. As tradições familiares adotaram referências ao cultivo, à coleta, à exploração dos bosques e montanhas do país.

Sobrenomes japoneses

Conheça alguns sobrenomes japoneses

Brasileiros que ostentam sobrenomes japoneses, no entanto, em maioria são miscigenados com povos que vieram de outras regiões do planeta. Confira a seguir o significado dos sobrenomes japoneses mais populares e o significado de cada um deles.

• Abe – “a” significa “agradar” e “be”, grupo ou setor. Abe é o grupo agradável, uma reunião de amigos ou de pessoas influentes.

• Aoki – junção dos termos “ao” (azul ou verde) e “ki” (árvore). Aoki é a arvore azul-esverdeada.

• Endo – “en” significa longe e “do”, glicínia. Endo significa longe da ternura. É uma referência aos exploradores que se afastam da terra natal.

• Fujita – mais uma referência à flor da ternura na tradição japonesa. “Fuji” significa glicínia e “ta”, plantação (um termo mais recente no idioma).

• Fujiwara – “Fuji” é a flor da ternura e “wara” significa cultivo, jardim. Fujiwara é o campo de glicínias (ou da ternura). O clã Fujiwara teve papel importante a partir do Império, até a restauração Meiji, período que se encerrou em 1912.

• Fukuda – “Fuku” significa sorte e “da”, arrozal, plantação. Fukuda é o arrozal da sorte, a plantação que rende muitos grãos.

• Hasegawa – junção dos termos “ha” (longo), “se” (vale) e “gawa” (rio). Hasegawa é o longo rio que corta o vale.

• Hashimoto – Shinobu Hashimoto projetou o cinema japonês para o mundo com o roteiro de “Os Sete Samurais” (1954). É a junção de “hashi” (ponte) e “moto” (base, raiz, origem). O sobrenome adquire o significado de ponte primária, ponte principal.

• Honda – está nas ruas e estradas do mundo inteiro, graças a Soichiro Honda, que fundou a Honda Motor Company. O significado é bem mais rural: a junção de “hon” (real, verdadeiro) e “da” (plantação). Honda é o “arrozal verdadeiro”.

• Ikeda – junção de “ike” (lago) e “da” (plantação). Ikeda é a plantação no lago, uma técnica de produção agrícola.

• Imai – junção dos termos “ima” (agora) e “i” (poço). Imai é o poço atual, a nova reserva hídrica encontrada pelos agricultores.

• Ishikawa – este sobrenome é um acidente geográfico, formado por “ishi” (pedra) e “kawa” (curso d’água). Ishikawa é o rio pedregoso.

• Ishii – mais uma pedra (ishi) nos sobrenomes japoneses. O último “i” significa poço. Ishii é o poço de pedra, um patrimônio importante para os camponeses do Japão.

• Ito – é a junção de “i” (cidade) e “to” (glicínia, flor japonesa relacionada com a ternura). Significa cidade das flores.

• Kaneko – junção dos termos “kane” (fortuna, dinheiro) e “ko” (filho). Kaneko é o filho afortunado, também significando o filho preferido.

• Kato – o décimo sobrenome mais popular do Japão é formado pelos termos “ka” (aumentar) e “to” (glicínia). Significa flor da ternura que se multiplica.

• Kikuchi – junção dos termos “kiku” (crisântemo) e “chi” (terra). Kikuchi é a terra dos crisântemos. O “crisântemo de 16 pétalas” é a flor nacional do Japão e está presente na bandeira do país.

• Kimura – junção de “ki” (árvore) e “mura” (aldeia, cidade). Kimura é a cidade no meio do bosque.

• Kobayashi – um milhão de japoneses carrega este sobrenome, que é formado pelos termos “ko” (pequeno) e “hayashi” (bosque, floresta). Significa jardim cultivado ou pequeno bosque.

• Kojima – “ko” significa pequeno e “jima”, ilha. Kojima quer dizer pequena ilha, ponto de apoio para os barcos pesqueiros.

• Kondo – outra referência à glicínia (do). “Kon” significa perto. O sobrenome quer dizer perto da glicínia ou, mais propriamente, perto da ternura.

• Kubota – é a junção dos termos “ku” (antigo), “bo” (conservar) e “ta” (plantação). Kubota significa conservação dos campos de cultivo ancestrais.

• Kurosawa – Akira Kurosawa é talvez o principal cineasta japonês de todos os tempos, diretor de “Os Sete Samurais” (1954), “Rashomon” (1950) e “Ran” (1985). O sobrenome é formado por “kuro” (preto) e “sawa” (pântano, brejo) e significa pântano negro.

• Maeda – junção dos termos “mãe” (frente) e “da” (plantação, arrozal). Maeda é o arrozal da frente, ou de frente para o arrozal.

• Maruyama – “maruy” significa roda, círculo. “Yama” significa montanha. Maruyama é a montanha redonda.

• Masuda – junção dos termos “masu” (aumentar) e “da” (plantação). Masuda é ampliação dos campos de cultivo de arroz.

• Matsuda – junção dos termos “matsu” (pinheiro) e “da” (plantação). Matsuda é o antigo nome dos arrozais cultivados entre os pinheiros.

• Matsumoto – “matsu” significa pinheiro e “moto”, pé, base. É o tronco do pinheiro, árvore reverenciada por não perder as folhas nos meses mais frios.

• Miyamoto – “Miya” significa templo ou palácio xintoísta e “moto”, origem. Miyamoto é a origem, o princípio do Xintoísmo, a espiritualidade ancestral do Japão.

• Miyazaki – é um dos sobrenomes japoneses mais poéticos. Formado pelos termos “miya” (templo xintoísta) e “zaki” (ponta, costão pedregoso), significa templo no alto da montanha à beira-mar.

• Mizushima – atualmente, não é muito popular no Japão, mas há muitos descendentes brasileiros com este sobrenome. É a junção de “mizu” (água) e “shima” (ilha). Significa ilha de água, ilha que se alaga na maré cheia.

• Mori – é formado por um único substantivo: “mori” significa bosque. É o grupo humano que vive da caça e da coleta, em contraposição aos camponeses (posteriormente, também aos habitantes das cidades).

• Morita-  junção de “mori” (bosque) e “ta” (plantação). Morita é a plantação no meio de um bosque.

• Murakami – conhecido no mundo inteiro através do escritor Haruki Marukami (de “Kafka à Beira-Mar”, “Minha Querida Sputnik”, etc.), é a junção dos termos “mura” (vila, aldeia) e “kami” (superior). É a aldeia superior, construída em um planalto, ou a parte de cima da aldeia, mais distante do rio.

• Nakagawa – junção dos termos “naka” (meio, centro) e “gawa” (rio). Nakagawa é o rio central, principal meio de circulação e escoamento da produção.

• Nakajima – junção dos termos “naka” (meio, centro) e “jima” (ilha). É a ilha central do arquipélago, um ponto estratégico para os japoneses.

• Nakamura – comum no Brasil, é formado pelos termos “naka” (meio, centro) e “mura” (vila, aldeia. Significa vila do meio, um povoado entre duas grandes aglomerações urbanas.

• Nishimura – junção dos ermos “nishi” (oeste) e “mura” (aldeia, vilarejo). Nishimura é a cidade do oeste, uma possível referência aos portos de onde saíam os navios com destino à Ásia continental.

• Ogawa – mais um acidente geográfico. “O” significa pequeno e “gawa”, rio. Ogawa é o riacho, o ribeirão.

• Okada – “oka” significa colina e “da”, plantação. Mais uma referência ao arrozal da colina, umas das principais plantações do Japão.

• Okamoto – junção dos termos “oka” (colina) e “moto” (base, pé). Okamoto é o sopé da colina e, por extensão, a base de sustentação.

• Ono – o sobrenome da mulher do beatle John Lennon (a artista plástica Yoko Ono) é a junção dos termos “o” (pequeno) e “no” (campo. Significa pequeno campo.

• Oota – junção dos termos “oo” (fértil) e “ta” (plantação, arrozal). Oota é o arrozal fértil, farto, que pode alimentar toda a aldeia.

• Oshiro – este sobrenome tem uma origem nobre. É a junção de “o” (grande) e “shiro” (castelo). Significa castelo real, castelo principal.

• Ozu – Quem assistiu a “Era Uma Vez em Tóquio”, um clássico de 1953, está familiarizado com o sobrenome do cineasta Yasujiro Ozu. O termo é a junção de “o” (pequeno) e “zu” (porto). Significa porto pequeno, abrigo pequeno.

• Saito – junção das palavras “sai” (purificação, adoração) e “to” (glicínia, uma espécie de flor). O significado é flor de beleza pura. É o sobrenome do clã Fujiwara, que dominou o Japão no período Heian (794-1185). A glicínia figura no brasão do clã.

• Sakai – “saka” significa saquê, tradicional bebida alcoólica japonesa. “I” quer dizer poço. Sakai é o poço de saquê, uma referência à abundância e à fartura.

• Sakurai – “sakura” significa cerejeira; “i”, poço. Sakurai é o poço da cerejeira, a árvore que simboliza o País do Sol Nascente.

• Sakamoto – “saka” significa inclinação, descida; “moto” quer dizer base, pé. Sakamoto é o sopé da colina, o início da elevação.

• Sasaki – é a junção de “sa” (ajuda) e “ki” (árvore e, por extensão, madeira). É a árvore de apoio, mastro estrutural das residências. A repetição do ideograma aportuguesado como “sa” indica a importância do suporte.

• Shimizu – trata-se de um recurso natural fundamental. “Shi” significa puro e “mizu”, água. É a água pura, imprescindível para qualquer expressão de vida.

• Shinkai – quem é fã de anime está familiarizado com o sobrenome de Makoto Shinkai, responsável por sucessos como “Cinco Centímetros por Segundo” e “O Jardim das Palavras”. É a junção dos termos “shin” (novo) e “kai” (mar). Shinkai significa mar novo, oceano renovado.

• Shotoku – é o sobrenome do príncipe Taishi Shotoku (574-622), que regeu o Japão no início do período Asuka. “Sho” (sagrado, santificado) e “toku” (ensinamento) traduzem o sobrenome como ensinamento sagrado.

• Suzuki – 1,7 milhões de japoneses assinam com este sobrenome, formado pelos termos “suzu” (sino) e “ki” (árvore). Significa sino da árvore, também uma referência ao barulho do vento nas copas das árvores.

• Takahashi – comum no Brasil, consta do registro de 1,4 milhão de japoneses. É formado pelos termos “taka” (alto) e “hashi” (ponte). Significa ponte alta, acesso entre dois mirantes.

• Tanaka – 1,3 milhão de japoneses tem este sobrenome, formado por “ta” (campo de arroz) e “naka” (dentro, no meio). Significa morador do campo de arroz.

• Taniguchi – junção dos termos “tani” (vale) e “guchi” (boca”. Taniguchi é a passagem de abertura para o vale.

• Toyota – outro sobrenome conhecido pela alta velocidade, em função de uma das maiores montadoras de automóveis do mundo, fundada por Kiichiro Toyota. O significado original, no entanto, também está associado ao meio rural. É a junção de “toyo” (abundância, fartura) e “ta”, um termo mais recente para os campos de arroz. O significado é arrozal abundante.

• Uchida – “uchi” significa dentro e “da”, plantação. É o centro da plantação, a parte principal do arrozal. O sobrenome designava originalmente os agricultores.

• Watanabe – junção das palavras “wata” (travessia) e “be” (beira, borda). Significa atravessar pela borda.

• Yamada – junção das palavras “yama” (morro, montanha) e “da” (arrozal). Yamada é o arrozal da montanha.

• Yamaguchi – junção dos termos “yama” (morro, montanha) e “guchi” (abertura). É a abertura (caminho) para a montanha.

• Yamamoto – junção das palavras “yama” (morro, montanha) e “moto” (pé). Significa base da montanha. É o nono sobrenome mais comum no Japão.

• Yamashita – junção das palavras “yama” (morro, montanha) e “shita” ou “sita” (parte inferior). É o sopé da montanha – a sustentação da estrutura geológica.

• Yamazaki – é um sobrenome comum no leste do Japão, relacionado aos ancestrais dos antigos samurais. Formado por “yama” (morro, montanha) e “zaki” (ponta, península), significa extremidade da montanha.

• Yokoyama – “yoko” significa ao lado e “yama”, montanha. Yokoyama é a região situada ao lado da montanha.

• Yoshida – junção das palavras “yoshi” (sorte) e “da” (plantação, utilizado especialmente para os campos de arroz). Significa colheita farta, boa plantação.

• Yukimura – este sobrenome remonta à época do período Sengoku (1467-1615), em que se destacou o samurai Sanada Yukimura. É formado pelos termos “yuki” (neve) e “mura” (vila, cidade). O significado é aldeia nevada.