Cotidiano Saúde Os benefícios dos exercícios na água

Os benefícios dos exercícios na água

A prática de exercícios aquáticos tem ganhado cada vez mais adeptos, por várias razões. A primeira delas é a eliminação do suor e a redução do cansaço: o Brasil é um país tropical, com Sol e calor durante quase todo o ano – em algumas regiões, no ano inteiro. Este é apenas o primeiro dos benefícios dos exercícios na água.

O treinamento esportivo e a ginástica na água oferecem menos impacto às articulações, sempre muito exigidas nos exercícios. O motivo é que a ação da gravidade é reduzida no meio líquido. Além de ser uma forma de prevenção, é também uma técnica de tratamento para traumas e desgastes nos cotovelos, joelhos e calcanhares e para quem tem problemas como artrite e artrose.

Quando a água está no nível dos ombros, é como se o peso do corpo diminuísse em 90%, o que significa menor sobrecarga para braços e pernas, e isto torna os exercícios na água também indicados para pessoas obesas e com sobrepeso, que apresentam maior dificuldade nos exercícios no solo. A prática aparentemente mais leve é um estímulo extra, já que a maioria das pessoas que está com uns quilinhos extras tende ao sedentarismo. Uma hora na água pode queimar entre 250 e 700 calorias.

Mas engana-se quem pensa que os treinos aquáticos são light: apesar da aparente fluidez, a água exerce pressão e resistência consideráveis sobre os músculos, trabalhando todos os grupos. É como uma malhação simultânea, em lugar de trabalhar o peitoral, abdômen, costas e membros em séries individuais.

Para quem sofre com desvios na coluna (como escoliose, lordose e cifose), a combinação de natação e exercícios de correção postural apresenta excelentes resultados. Treinar dentro d’água ajuda a restaurar o equilíbrio e a estabilidade do centro corporal.

Especialmente em piscinas aquecidas, a água leva ao relaxamento, por funcionar como um massageador e por dilatar os vasos sanguíneos e melhorar a circulação, o que traz um bônus: maior quantidade de oxigênio para as células executarem suas tarefas. O efeito relaxante faz com que os exercícios na água contribuam para reduzir os efeitos do estresse, ansiedade e depressão.

Por melhorar a frequência cardiorrespiratória, os exercícios na água trazem benefícios a pessoas com problemas de asma, bronquite e hipertensão arterial.

Para as crianças

A piscina é uma atividade lúdica por excelência: é possível nadar, boiar, praticar jogos e exercícios. Estes são bons momentos para os pequenos aprenderem a compartilhar e socializar-se com os colegas. A água apresenta outros benefícios: autoconhecimento corporal e autoconfiança: ao superar o medo dos mergulhos, a criança automaticamente transfere esta autonomia para outras atividades que desenvolve.

O menor esforço para determinadas tarefas – como contrair e relaxar músculos – permite que a criança explore outras habilidades que possui, ampliando seu potencial. A identidade psicossocial e a alteridade vão sendo desenvolvidas desde muito cedo.

Não há idade mínima: até bebês podem participar. A prática aquática para crianças de menos de um ano melhora a coordenação motora, que é sempre acompanhada por uma desinibição psicológica. Crianças (e, em parte, pessoas de qualquer idade) apresentam facilidade para transferir competências do físico para o emocional.

Os exercícios aeróbicos

Andar, correr, pedalar embaixo d’água são atividades excelentes para fortalecer a musculatura e aumentar a resistência física. Uma corrida dentro da água é equivalente a uma caminhada fora dela. Alie-se a isto o menor risco de lesões em músculos, tendões e articulações e chega-se a uma excelente opção para pôr o corpo para trabalhar.

A hidrobike (ou hidrospinning) utiliza bicicletas ergométricas tratadas com material resistente à água. Os exercícios são indicados especialmente para tonificar glúteos e pernas, mas muitas academias adaptam a prática com pesos e extensores, para permitir a malhação também do tronco e braços.

O jogging aquático é um programa de corrida ou caminhada. Não é preciso nadar, porque os exercícios são feitos com cinturões flutuadores, que garantem sempre a cabeça fora d’água. Os alunos não chegam a tocar os pés no fundo da piscina, o que significa impacto articular nulo.

A hidroginástica já foi uma área feminina, mas hoje os homens representam quase a metade dos alunos nas academias. É um treinamento completo, indicado inclusive para emagrecer, ganhar resistência muscular localizada e fortalecer o abdômen e o diafragma, melhorando a respiração. Existem turmas especiais para idosos, gestantes e mulheres no pós-parto que querem recuperar a forma.

Por fim, existe a boa e velha natação, em todos os seus estilos. Como qualquer exercício na água, além de condicionar o corpo, ela aumenta a autoestima, além de criar e fortalecer laços de amizade.

Antes de começar a treinar, no entanto, é preciso submeter-se à avaliação médica, para verificar possíveis problemas ou ferimentos na pele e infecções. Quem sofre de osteoporose deve escolher outros exercícios, já que o baixo impacto desfavorece a formação de massa óssea. Estas são as únicas contraindicações. Malhar na água é indicado para qualquer faixa etária, inclusive para grávidas, com exercícios adaptados às condições de cada turma.

ÚLTIMAS POSTAGENS

PUBLICAÇÕES RELACIONADAS

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui