Bizarro Cosmético exótico utilizando LESMAS é sucesso na Coreia do Sul

Cosmético exótico utilizando LESMAS é sucesso na Coreia do Sul

A Coreia do Sul é um país obcecado pela beleza e pela juventude. Em média, mulheres e homens coreanos utilizam dez produtos entre itens para o cabelo e a pele (do rosto e do corpo), além de maquiagem, o que lhes garantem destaque no ranking de mundial. Os laboratórios do país estão em constante inovação e não têm problemas em utilizar alguns ingredientes, como baba de lesma.

Pode parecer estranho – e até nojento – mas estudos indicam que os cremes faciais formulados à base desta gosma ou limo realmente oferecem resultados surpreendentes. A empresa TonyMoly, por exemplo, produz uma série de cosméticos feitos com glicoconjugados (moléculas constituídas por lipídeos proteínas e carboidratos extraídos da Helix aspersa, a espécie de caracóis mais conhecida do mundo e do Cantareus aspersus.

cosmetico-a-base-de-lesma

Estas moléculas são as responsáveis pela produção da baba de lesma – aquele rastro brilhante (e nauseante) que estes moluscos deixam em pisos e paredes quando se deslocam (“a passo de lesma”, é preciso dizer, para desconforto de muitas pessoas).

Este limo gosmento age estimulando a produção de fibroblastos, que aumentam os níveis de colágeno e elastina da pele humana. Desta forma, os cosméticos à base de lesma conferem mais firmeza e elasticidade, especialmente à pele do rosto.

A baba também contém enzimas que atuam nos processos de cicatrização e protegem contra os raios ultravioleta, além de ter ação hidratante e desintoxicante. O creme facial é eficiente inclusive para a eliminação de cravos, de espinhas e de pelos encravados.

lesma sendo utilizada na estetica
Em Krasnoyarsk, na Rússia, as lesmas (VIVAS) são colocadas diretamente no rosto.

O uso regular do produto coreano (copiado por indústrias farmacêuticas de vários países) aumenta a velocidade de reparação da pele, suaviza as linhas de expressão e devolve a densidade, brilho e uniformidade à pele envelhecida.

Usos e costumes no uso de lesmas

Apesar de parecer estranho, o uso das lesmas nos hábitos nutricionais, cosméticos e de saúde humanos é bastante antigo. À mesa, os caracóis são degustados ao menos desde a Grécia antiga (Hipócrates, o Pai da Medicina, teria afirmado que uma mistura de leite e caramujos esmagados é um excelente anti-inflamatório para a pele. Atualmente, quatro espécies são criadas exclusivamente para abate.

A iguaria é popular e muito requisitada em países como França (o famoso escargot, também criado no Brasil), Portugal (onde figura como caracol no cardápio) e Itália (lumache). Porém, nada de sair à caça de lesmas e caramujos no jardim: a Coreia do Sul desenvolveu uma técnica para separar a baba das fezes dos animais. Foi o pulo do gato da indústria cosmética: as fezes destes moluscos são tóxicas para animais e plantas.

Em Krasnoyarsk, na Rússia (é a capital do maior território do país, com cerca de um milhão de habitantes), esteticistas e dermatologistas decidiram eliminar os processos intermediários: nos salões de beleza da cidade, colocando os moluscos para “trabalharem” diretamente no rosto dos clientes.

ÚLTIMAS POSTAGENS

PUBLICAÇÕES RELACIONADAS

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui