Entretenimento Aparados da Serra: paisagens de tirar o fôlego

Aparados da Serra: paisagens de tirar o fôlego

Na divisa entre Santa Catarina e Rio Grande do Sul, o Parque Nacional de Aparados da Serra é uma reserva florestal situada na serra Geral (ou planalto Meridional brasileiro), com paisagens de tirar o fôlego do turista mais exigente. Seu status é de unidade de conservação de proteção integral da natureza.

O parque foi criado no final dos anos 1950, visando à preservação de ecossistemas de pampas gaúchos, mata atlântica e floresta de araucárias, permitindo a realização de atividades científicas e principalmente o ecoturismo. Aparados da Serra, único parque da região Sul do país a fazer parte do Programa de Turismo nos Parques, é administrado pelo Instituto Chico Mendes, vinculado ao Ministério do Meio Ambiente.

O relevo de Aparados da Serra é impressionante. A área é cortada por imensos desfiladeiros, com paredões de até 700 metros de altitude, que terminam em campos de forma abrupta, como se tivessem sido aparados.

O acesso ao parque, localizado entre o nordeste do Rio Grande do Sul e o extremo sul de Santa Catarina é feito pela BR-101. As cidades mais próximas do parque Aparados da Serra são Cambará do Sul e São José do Sul (RS) e Praia Grande e Bom Jardim do Sul (SC). Todas oferecem boas opções de estadia, em pousadas caseiras com excelentes refeições. Para quem quer um contato mais próximo com a natureza, há áreas de camping, equipadas com banheiros e refeitórios. Os preços, em todos os serviços, são bastante acessíveis.

Diversas agências de turismo formam grupos para trilhas leves e radicais, cavalgadas e passeios em jipes 4×4 nas bordas dos cânions, sempre com guias experientes, que dão informações da fauna e flora da região, povoada por jaguatiricas, leões-baios, guaxinins e diversas espécies de aves, num ambiente de araucárias e pampas.

A região também oferece opções de esportes, como tirolesa, arborismo, rapel e canyoning. Atrações imperdíveis: os cânions Itaimbezinho e Fortaleza, as trilhas da Pedra Furada e do Rio do Boi e os picos Morro da Igreja e Monte Negro, onde se forma um cânion que leva o mesmo nome.

O parque fica aberto para turistas durante o ano todo: quem não gosta de frio intenso (beirando o 0°C) deve deixar a excursão para a primavera e verão, quando as chuvas são mais abundantes e os nevoeiros, constantes nas áreas mais altas.

ÚLTIMAS POSTAGENS

Artigo anteriorQuem foram os druidas?
Próximo artigoA fundação de Roma

PUBLICAÇÕES RELACIONADAS

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui