forbrukslån | forbrukslån | betale depositum med lån

Entrevista com o autor do livro Google Adwords – A Arte da Guerra

Por isso ninguém esperava, o Blogadão fazendo entrevistas e para começar com o pé direito, entrevistei o empresário Ricardo Vaz Monteiro, autor do livro “Google Adwords – A arte da Guerra”.

Ricardo que antes mesmo de me conceder esta entrevista, gentilmente me enviou dois exemplares da 2ª edição do livro, claro, um é meu, o outro vou sortear em breve entre meus leitores. Além disso, Ricardo aceitou meu convite para torna-se colaborador do Blogadão, ou seja, a qualquer momento ele vai dar o ar da sua graça por aqui, escrevendo alguns artigos bem interessantes, aguarde…

Gosta de Curiosidades? Entretenimento? Vídeos legais? Clique para curtir o Blogadão

Bom, vamos ao que interessa, segue entrevista:

Alexandre: Antes de mais nada, obrigado por me conceder esta entrevista. Primeiramente gostaria que contasse um pouco sobre você e sua trajetória na internet, qual sua formação e quando e como começou esta carreira de sucesso?

Ricardo: Trabalho na Internet desde 1996, o que em termos de Internet é muito tempo. Incialmente fundei uma empresa de webdesign chamada Brazil Connection, nossa meta era abrir mão da receita do desenvolvimento e recebíamos pagamentos mensais e fixos pela manutenção. Lançamos o projeto com uma campanha muito forte no Jornal o Estado de S. Paulo e passamos por diversas fases: crescimento, negociação com investidores, alguns nacionais como as Páginas Amarelas e a Stefanini e outros estrangeiros. Também passamos por fases difícieis, em especial após o estouro da bolha. Nesta época quando você dizia que trabalhava na Internet você era considerado trambiqueiro, devido a péssima repercussão que a especulação financeira acarretou. Porém, sobrevivemos e em 2003 reposicionamos a empresa e abrimos mão do desenvolvimento web. Eu particularmente tenho paixão pelo desenvolvimento web, porém dificilmente o cliente brasileiro paga e valoriza por este trabalho. Lançamos a marca Nomer.com e posicionamos a empresa como Registradora de domínios em larga escala. Resolvemos nos concentrar em produtos que sejam fornecidos automaticamente e que permitam ganho de escala. Logo percebemos que não havia nenhuma empresa credenciada à ICANN na América Latina e essa oportunidade não poderia ser perdida. Investimos tempo e dinheiro, e o Nomer.com se tornou o primeiro credenciado na região. Paralela a minha participação como empresário, tenho escrito livros e artigos sobre o mercado de registro de domínios e sobre links patrocinados. Devido a estas ações fui convidado a participar da ICANN como “fellow” e também fui convidado para participar como um dos juízes do prêmio iBest. Eu adoro trabalhar na Internet, é um mercado muito interessante, dinâmico e permite que o profissional atue de diversas formas ao mesmo tempo.

Alexandre: Tive dificuldades de registrar um domínio .com.br para o Blogadão, devido as exigências impostas pelo Registro.br. Sabemos que no Brasil há muito menos domínios .com.br do que .com, na lógica deveria ser o contrário. A exigência do CNPJ para registros de domínios com.br é o principal motivo desta diferença? O que você pensa sobre isso?

Ricardo: É uma pena que o Registro.br obrigue o fornecimento de um CNPJ para registro de um domínio .COM.BR, no mínimo o registro deveria ser concedido para quem tem CPF. Esta questão é especialmente perversa no Brasil já que o mercado informal, ou cinza, é enorme no país. Quem sabe o Registro.br não altera esta política no futuro?

O registro de um domínio .COM é uma saída, porém o ideal é que a empresa registre o domínio nas duas extensões mais importantes: .COM e .COM.BR – Vale lembrar que nem sempre o Internauta LEMBRA da extensão correta, e portanto o registro em ambas é recomendado.

Alexandre: Sobre seu livro “Google Adwords – A Arte da Guerra”, fale um pouco a respeito e quais as principais atualizações na 2ª Edição.

Ricardo: Sou um dos primeiros credenciados no programa Google Advertising Professional no Brasil, porém percebi que não havia nenhum livro em português sobre o tema, como acredito que os links patrocinados sejam um dos mais importantes motores da web neste momento, um livro tinha que ser escrito. Google Adwords A arte da Guerra foi muito bem recebido e recebo diariamente pelo menos uma dezena de e-mails agradecendo a iniciativa. A maioria é de webdesigners que passaram a incorporar a administração de campanhas de links patrocinados em seu mix de produtos. A segunda edição do livro Google Adwords a arte da guerra, tem algumas correções que acompanham as alterações do próprio sistema do Google, além de uma interessante inserção sobre as novas ferramentas para os anunciantes, entre elas, a otimização de conteúdo.

Alexandre: A publicidade na internet vem crescendo gradativamente, não como queriamos, mas já percebemos um certo amadurecimento, graças inclusive ao pioneirismo do Google com seus links patrocinados. Como você vê o futuro da publicidade online, inclusive o Google Adwords?

Ricardo: A tendência é de forte crescimento. Veja por exemplo o que está ocorrendo nos preços das palavras-chave, os preços explodiram ! Os links patrocinados também estão gerando outros efeitos colaterais no mercado, por exemplo, os domínios genéricos que antes eram apenas uma “expectativa”, passaram a ser extremamente valorizados já que o tráfego direto que estes domínios possuem passou a ser valorizado. Alias, o crescimento do mercado de registro de domínios é de 31% ao ano, em grande parte devido aos links patrocinados.

Alexandre: No livro é explicado duas formas de anúncios, por CPC e CPM qual a diferença dos dois?

Ricardo: No CPM (Custo por milhar), o cliente paga um valor fixo a cada 1.000 vezes que seu anúncio é apresentado. Este custo é devido independente se a campanha deu retorno ou não. No caso do CPC (Custo por clique), o cliente só paga pelos cliques que ele efetivamente recebeu, ou seja, ele não corre o risco de fazer uma campanha que não de retorno. Por outro lado o valor pago por clique é definido em um leilão onde cada anunciante diz o quanto está disposto a pagar. É uma guerra, exatamente por isso inseri no livro Google Adwords A arte da Guerra, diversas citações milenares de Sun Tzu de A arte da guerra.

Alexandre: O Google está testando uma “nova” forma de publicidade, em que os anunciantes só pagam caso o visitante/consumidor faça alguma ação/interação (compra, cadastro,etc) no site, esta alternativa visa acabar com os cliques fraudulentos, será o fim do CPC e CPM nos links patrocinados?

Ricardo: No exterior essa modalidade, pay-for-action não decolou. Vamos ver como se comporta no mercado brasileiro. Eu tenho minhas dúvidas, afinal, o veículo de divulgação, no caso o Google, pode correr o risco até certo ponto. Até o ponto de levar o cliente até seu site, porém não poderá ocorrer o risco sobre a escolha do seu modelo de negócios, seu suporte pré-e-pós venda e pricing de cada cliente. Não acredito que o pay-for-action frutifique.

Alexandre: Li alguns meses atrás um review do seu livro no blog Marketing de Busca e acompanhei uma polêmica que um determinado leitor expôs nos comentários, em que o livro seria uma cópia dos guidelines do Google Adwords, esta informação é verdade? Fale um pouco a respeito.

Ricardo: Existem apenas duas páginas do livro que foram inseridas e são cópias do Guidelines do Adwords. Essas páginas me foram fornecidas pelo próprio Google para que fossem inseridas. Interessante notar que existe um fenômeno com relação ao livro. Em geral, webdesigners e proprietários de sites, acham o livro ótimo e me enviam congratulações com certa regularidade, porém alguns donos de agências que administram campanhas de links patrocinados vivem criticando o livro e a iniciativa. O livro é uma iniciativa que ajuda a desmistificar links patrocinados e nem todo mundo acho isso positivo.

Sobre o autor

Ricardo Vaz Monteiro é diretor executivo do Nomer.com, 1a. empresa credenciada a ICANN na América Latina para registro de dominio como Registrar, autor dos livros Escolha seu .com e Google Adwords a Arte da guerra, ICANN Fellow e jurado do prêmio iBEST.

Então é isso aí, quero agradecer mais uma vez o Ricardo pela entrevista, obrigado.

Gostou da entrevista? Comente…

Siga-nos no Facebook
Receba atualizações do Blogadão no seu email,
ganhe brindes e participe de promoções!
É gratuito!

Comente no Facebook

Comente

Receba atualizações no seu email.
Participe de Promoções.