Retrovisores: a alma da direção

Além do volante, o motorista precisa ter habilidade com os retrovisores

Na autoescola, aprendemos que o bom motorista precisa saber dirigir com cuidado, respeitar as leis de trânsito e, principalmente, pensar no bem coletivo, usando o bom senso sempre que possível. Pensando nesse aspecto da coletividade e na segurança individual é que as montadoras incluem nos veículos os retrovisores.

Gosta de Curiosidades? Entretenimento? Vídeos legais? Clique para curtir o Blogadão

Item obrigatório em todo automóvel, esses espelhos têm papel fundamental na boa direção, porém existem muitos motoristas que não sabem regulá-los corretamente. Pensando nisso, escrevo este artigo para instruí-lo de como deve se regular corretamente os retrovisores.

O retrovisor interno

O retrovisor interno é de vital importância, pois é ele que proporciona uma visão traseira ao motorista, além de dar uma noção de distância dos outros veículos. Uma vez que outro carro pode ser visualizado pelo retrovisor interno significa que este veículo está, com certeza, atrás do carro do condutor e não significa grande obstáculo na hora de, por exemplo, trocar de faixa.

Para regulá-lo corretamente, basta fazer com que, olhando por este espelho, o condutor possa olhar todo o espaço compreendido pelo vidro traseiro do automóvel, tendo uma noção completa do que está atrás do veículo. É importante que o motorista possa ver tanto as laterais quanto a base e o topo do vidro traseiro, sem enxergar o teto do automóvel, através do retrovisor interno. Dessa forma, pode-se considerar que o retrovisor interno está bem regulado.

Os retrovisores externos

Os retrovisores externos são fundamentais para dar noção de espaço ao motorista. É através deles que o condutor deve ter noção do que se passa nas laterais do seu veículo. Uma vez que outros veículos são vistos bem próximos pelos retrovisores externos significa que estes automóveis estão próximos às laterais do condutor e são obstáculos consideráveis quando for, por exemplo, efetuar uma conversão ou um retorno.

Para uma boa regulagem dos espelhos externos, o condutor deve buscar eliminar o famoso “ponto cego”. Para isso, ele deve regular ambos os retrovisores de forma que estes possam propiciar o maior campo de visão da via e não da lateral do carro, como usualmente é feito. O condutor sempre deve abrir os retrovisores, para o ângulo feito com a lateral do carro seja sempre maior que 90º, possibilitando uma maior visualização da via.

Existem, no mercado, carros com tecnologias que auxiliam o condutor. Uma delas é a memória de marcha ré, onde o veículo memoriza uma posição para um dos retrovisores externos (normalmente o direito), que é acionada toda vez que a marcha ré é engatada. Isso é muito útil para, por exemplo, estacionar o carro rente à calçada e, nesta situação, o retrovisor em questão deve ser ajustado para que o condutor possa visualizar o meio fio e a lateral do carro.

Portanto, a regulagem correta dos espelhos retrovisores é essencial para uma boa e segura direção, evitando acidentes e danos indesejáveis por qualquer condutor. Sendo assim, use bem as dicas deste artigo e preste muita atenção aos seus retrovisores sempre que for sair com seu automóvel, pois assim você é, além de um bom motorista, um excelente cidadão.

Siga-nos no Facebook
Receba atualizações do Blogadão no seu email,
ganhe brindes e participe de promoções!
É gratuito!

Comente no Facebook

Comente

Receba atualizações no seu email.
Participe de Promoções.