forbrukslånhjelpen | lendo omtaler | forbrukslån på dagen

Quando surgiu o tarô?

Está tudo nas cartas? Adeptos do chamado baralho cigano afirmam que sim.

Jogos de cartas recreativos existem na Europa ao menos desde 1367, ano em que foram proibidos em Berna (Suíça). O tarô (ou tarot), baralho de 78 cartas utilizado hoje para práticas divinatórias, surgiu por volta do século XV, no norte da Itália. Inicialmente, era usado para jogos de recreação pelos nobres venezianos e florentinos. Jogos semelhantes estavam na moda em diversos outros países da Europa central. O baralho consiste em 14 cartas de cada naipe (dez cartas numeradas e quatro figuras: rei, dama, valete e cavaleiro, esta última inexistente no baralho português), acrescidas de 22 trunfos. Com o advento da imprensa, a produção de baralhos foi ampliada e barateada, permitindo a popularização entre as classes populares.

Gosta de Curiosidades? Entretenimento? Vídeos legais? Clique para curtir o Blogadão

Até o século XVII, o maior centro produtor de cartas paga jogar era Milão, na Itália. Com o colapso das manufaturas da região, o sul da França passou a ser o maior exportador e foi ali que surgiu o tarô mais conhecido atualmente: o de Marselha.

A partir do século XVIII, as cartas do tarô passaram a ser usadas para prever o futuro. É possível que outros jogos de cartas proféticos existissem antes disso, mas não há comprovação histórica.

A divulgação do tarô esotérico tem início logo após a Revolução Francesa (1789), com o místico francês Alliette, que utilizava o pseudônimo Etteilla. Anne-Marie Le Normand também o popularizou, especialmente pela influência que mantinha sobre a imperatriz Josefina, primeira mulher de Napoleão Bonaparte. Eliphas Lévi, por muitos considerado o verdadeiro fundador do tarô divinatório, criou a Ordem Hermética da Aurora Dourada. Num de seus livros (“Dogma e Ritual da Alta Magia”, de 1854), há uma interpretação das cartas do tarô relacionada à Cabala judaica e à alquimia. A partir de então, surgiram baralhos relacionados a anjos, fadas, forças naturais, motivos ciganos e egípcios, etc.

O tarô esotérico é dividido em dois grandes grupos:

• arcanos menores: são as 56 cartas separadas em quatro naipes, semelhantes ao baralho comum;

• arcanos maiores: um curinga sem número (O Louco) e 21 cartas numeradas:
1) Mago                                          2) Sacerdotisa                    3) Imperatriz
4) Imperador                              5) Sumo Sacerdote           6) Namorados
7) Carro                                         8) Justiça                              9) Eremita
10) Roda da Fortuna              11) Força                               12) Enforcado
13) Morte                                    14) Temperança                  15) Diabo
16) Torre                                     17) Estrela                             18) Lua
19) Sol                                           20) Julgamento                   21) Mundo

Os naipes dos arcanos menores representam a vida material (Ouros), vida amorosa (Copas), criatividade (paus) e mente e intelecto (espadas). O significado dos arcanos varia de acordo com a posição em que estão quando o cartomante põe as cartas para o consulente.

Existem diversos sites gratuitos que leem o tarô para internautas. Mas atenção: como diz Mestre Yoda, da saga “Guerra nas Estrelas”, é difícil prever o futuro. Ele está sempre em movimento.

Siga-nos no Facebook
Receba atualizações do Blogadão no seu email,
ganhe brindes e participe de promoções!
É gratuito!

Comente no Facebook

Comente

Receba atualizações no seu email.
Participe de Promoções.