Pilares da vida saudável

A qualidade é uma preocupação crescente nos dias de hoje. Confira os pilares para uma vida saudável.

Os brasileiros estão vivendo cada vez mais (em média, atingimos 73,9 anos), mas isto não significa que estejamos vivendo melhor. Com o avanço da idade, tornam-se mais comuns os problemas de saúde, locomoção, etc. Mas não é necessário, porém, atingir a terceira idade para começar a se preocupar: com a adoção de alguns pilares, a vida se torna mais saudável e prazerosa.

pilares-da-cida-saudavel

Gosta de Curiosidades? Entretenimento? Vídeos legais? Clique para curtir o Blogadão

Nossos principais problemas são a alimentação inadequada, o estresse da vida moderna, a violência, a alta de preços e a falta de exercícios físicos. Para alguns, apenas a educação política pode resolver – e serão necessários muitos anos para atingirmos uma sociedade mais justa.

Para obter – e manter – uma vida saudável, no entanto, só é preciso basear o dia a dia nos seguintes pilares: boa alimentação, manutenção do peso ideal, atividade física, hidratação, pensamento positivo, meditação (pode ser uma prática religiosa, relaxamento, ioga, etc.) e sete ou oito horas de sono a cada noite.

Comer, comer

A alimentação, como todos sabem, é fundamental para uma vida saudável. Os alimentos que ingerimos determinam os nossos níveis de energia, previnem e combatem doenças, indicam a nossa composição corporal e influenciam o nosso bem-estar emocional.

Nos dias de hoje, a agenda lotada nos obriga a escolher produtos pouco saudáveis. O macarrão instantâneo, por exemplo, uma quase unanimidade entre os solteiros, apresenta altos teores de sódio e de gordura em sua composição.

De acordo com a Organização Mundial de Saúde (OMS) o consumo diário de sal de cozinha deve ser de dois gramas (uma colher rasa de café).

Uma embalagem do macarrão instantâneo contém no mínimo o dobro disto, de acordo com avaliações feitas pela Associação Proteste de Defesa dos Direitos dos Consumidores.

O famoso e prático desenvolvido pelos japoneses é inclusive contraindicado para crianças. Experimente trocá-lo por macarrão do tipo ninho com um molho caseiro: não é tão instantâneo, mas é muito melhor para a saúde.

Ao fazer compras, comece a tarefa pelas frutas, legumes e verduras. O cardápio ficará muito mais variado e colorido. Chegando a casa, lave todos os produtos in natura adquiridos, seque-os e guarde no refrigerador. Alguns itens podem ser descascados, picados e mantidos em tupperwares, prontos para um cozido rápido ou para uma salada.

Experimente trocar os grãos refinados pelos integrais. A ingestão ajuda nas funções metabólicas, já que eles contêm fibras solúveis e insolúveis, ácidos graxos essenciais, proteínas, glicose, vitaminas, sais minerais, antioxidantes e muitos outros itens fundamentais.
O açúcar branco, considerado uma caloria vazia pelos especialistas, pode ser substituído pelo mascavo, demerara e mesmo pela stévia, que já é comercializada sob a forma de pó branco, que não altera o sabor dos alimentos.

Os alimentos industrializados, por outro lado, são muito calóricos e pobres de nutrientes. Congelados, sopas e temperos prontos, carnes e aves que vão diretamente do freezer ao forno precisam ser consumidos com muita moderação, preferencialmente acompanhados por uma salada, que aumenta a sensação de saciedade e impede o ganho de peso.

Fast food, pizzas e esfihas fazem a alegria de crianças e adultos, mas devem ser reservados para momentos especiais. O prazer de comer um bom sanduíche, com batatas fritas e milk-shake inclusive contribui para uma vida saudável, mas um dos truques das lanchonetes para vender mais é oferecer os combos: o consumidor acaba comendo muito mais do que o organismo necessita.

Para perder apenas um quilo do peso corporal, um adulto saudável precisa “queimar” sete mil calorias. Em uma dieta de 2.200 calorias diárias, para perder o peso extra, é necessário reduzir o consumo para 1.500 calorias por duas semanas.

Água, dona da vida

Muitas pessoas não têm o hábito de beber água, mas ela é uma substância fundamental para uma vida saudável. Apenas para lembrar, nosso corpo é constituído por mais de 70% do precioso líquido. Bebendo oito copos a cada dia – o que não é nenhum sacrifício –, o organismo funciona melhor e o aumento do volume de urina combate inclusive o inchaço.

A água auxilia na condução dos nutrientes para as células, na eliminação de impurezas e toxinas, além de melhorar as funções intestinais e a boa aparência da pele. Tenha sempre uma garrafinha por perto em qualquer atividade, para ajudar a fixar o hábito. Não troque a água por refrigerantes: todos os produtos são ricos em sódio e açúcar. Mas os chás (sem açúcar), sucos naturais de baixas calorias e água de coco são bem-vindos à rotina alimentar.

Mexa-se!

O sedentarismo é um dos principais males da sociedade contemporânea. Para ter uma vida saudável, os exercícios físicos são fundamentais. Não é necessário se tornar um atleta da noite para o dia: para começar, basta uma caminhada de 30 minutos em dias alternados.

Desça alguns pontos antes do seu destino no transporte público, proponhas brincadeiras e jogos para as crianças (como esconde-esconde ou pega-pega), troque o elevador pelas escadas, faça a pé as compras e outras atividades na rua, de uma volta no quarteirão e aproveite para observar a paisagem: é incrível como nós podemos descobrir pequenos segredos da cidade quando nos propomos simplesmente a olharmos à nossa volta.

Para exercícios físicos mais intensos, como malhar, correr, nadar, pedalar ou praticar esportes, é necessário recorrer à orientação de especialistas. Um check-up anual para avaliação das condições de saúde e os conselhos de um educador físico são fundamentais para movimentar o corpo de forma correta, evitando lesões nos músculos, ossos, tendões e articulações.

Os exercícios físicos permitem melhor conhecimento corporal e melhoram as habilidades cognitivas comprometidas com o envelhecimento. É preciso lembrar, no entanto, que não basta uma “corridinha” se, no restante do dia, o sedentarismo seja quase total. Mesmo no trabalho em escritórios, é possível fazer pequenas pausas e caminhar pelos corredores, ir até a sala do cafezinho, parar alguns minutos e olhar pela janela, etc.

A hora da cama

O sono é muito importante para a preservação de uma vida saudável. Os seres humanos precisam de ao menos sete horas diárias de sono, preferencialmente à noite. O dormitório precisa ser um ambiente tranquilo, como bom conforto térmico e sem nenhum ponto de luz aceso: mesmo a lâmpada do stand-by de uma TV é prejudicial à saúde.

A falta de sono afeta a saúde e o estilo de vida: ninguém consegue desenvolver adequadamente as atividades do cotidiano com os olhos pesados, pedindo para fechar. Se for possível, reserve 20 ou 30 minutos diários para uma soneca depois do almoço e, antes de dormir, faça uma atividade relaxante.

A ciência ainda não descobriu os motivos do sono, mas todos os animais dormem. Com a quantidade certa, o descanso acarreta vários fatores positivos: melhora o humor, a memória, os níveis de energia, a produtividade, as habilidades de comunicação, além de conferir um bom estado de alerta durante os períodos de vigília.

Malhando o cérebro

Se o corpo está bem, a mente não pode ser subestimada. Ela precisa ser constantemente estimulada e isto pode ser obtido de diversas formas: leitura, escrita, pintura, jogos de tabuleiro (o xadrez é uma excelente opção), resolução de palavras cruzadas, montagem de quebra-cabeças, culinária e os mais diversos hobbies, como a construção e um aeromodelo, por exemplo.

É importante também sair da rotina. Escrever com a mão esquerda, andar pela casa ou outro ambiente conhecido de olhos vendados, subir uma escada de costas e qualquer outra atividade inusitada estimula o funcionamento dos neurônios por aumentar a irrigação sanguínea do cérebro.

A mente é afetada também pelo estresse. Não se trata exatamente de uma doença, mas de uma forma que o organismo emprega para enfrentar situações mais difíceis, que sempre surgem em nosso cotidiano. Quando o indivíduo adota respostas inadequadas, porém, pode desenvolver diversas enfermidades.

Não existe uma receita acabada para combater o estresse. Cada um de nós precisa encontrar a melhor forma de manter uma vida saudável. Alguns se dedicam ao trabalho voluntário, a uma religião, utilizam técnicas de relaxamento, meditação, ioga, reeducação postural global, outros se ocupam com uma atividade manual ou praticam esportes.

Pessoas negativas e derrotistas precisam ficar fora do caminho: elas poluem o ambiente quando só conseguem enxergar os aspectos negativos de determinada situação. Nós precisamos sempre nos cercar de pessoas positivas e ter amigos sempre próximos (mesmo que seja através de um telefonema ou das redes sociais).

Comer, rezar e amar, como afirma a escritora americana Elizabeth Gilbert, são os pilares para uma vida saudável. Devemos estar sempre em boa forma física, emocional e mental – todos os aspectos são igualmente importantes.

Siga-nos no Facebook
Receba atualizações do Blogadão no seu email,
ganhe brindes e participe de promoções!
É gratuito!

Comente no Facebook

Comente

Receba atualizações no seu email.
Participe de Promoções.