Os misteriosos círculos das plantações

Seriam sinais do pouso de discos voadores? Os misteriosos círculos das plantações intrigam muita gente.

Também chamados de círculos ingleses, os círculos das plantações são conjuntos de formas geométricas desenhadas em campos agrícolas. De acordo com a explicação mais popular, as marcas são deixadas por seres alienígenas durante seus voos para explorar a Terra. Os desenhos surgem em campos de vegetais de caule mole, como milho, cevada, centeio, canola e trigo.

os-misteriosos-circulos-das-plantacoes-1

Gosta de Curiosidades? Entretenimento? Vídeos legais? Clique para curtir o Blogadão

As figuras são mais bem observadas de um ponto mais alto. Ao caminhar pela plantação, pouco se nota das formas, semelhantes a mandalas (representações indianas da relação entre o homem e o cosmos), que tendem a se tornar fractais: elementos da geometria não euclidiana que se multiplicam, em tese, até o infinito.

Como os círculos das plantações surgem inesperadamente e chamam a atenção, já existem empresas americanas e inglesas contratando artistas (os circlemakers, ou produtores de círculos) para desenhar suas marcas em campos e bosques. A tarefa é simples: basta usar tábuas para amassar a grama e o trabalho está feito.

Um pouco de história

O fenômeno, também conhecido como agroglifo, começou na Inglaterra e já foi observado em vários países. No Brasil, os estados de Santa Catarina e São Paulo concentram a maioria das aparições dos círculos nas plantações, que tomam a forma de estrelas, borboletas, pentagramas e cruzes, o que permite, na conclusão apressada, entender que eles têm uma conotação mística.

O assunto é recorrente na ufologia é já se tornou tema de livros e filmes sobre a invasão de extraterrestres ou sobre o fim do mundo. A ufologia (do inglês UFO – unidentified flying object, ou objeto voador não identificado) é o estudo de relatos, registros e evidências relacionados aos discos voadores (não é reconhecida como um ramo de pesquisa científica).

os-misteriosos-circulos-das-plantacoes-2

Em 2001, no interior da Inglaterra, foram encontrados círculos que supostamente seriam a resposta a uma pergunta emitida pelo radiotelescópio de Arecibo (Porto Rico, Estado associado aos EUA) em 1974. A mensagem era composta por 1.679 dígitos e fazia referência ao DNA e estrutura química dos seres humanos. O retorno dos ETs foi encontrado em Hampshire (Inglaterra).

Os detalhes chamaram a atenção: a resposta veio em nossa base matemática (decimal), mas os elementos da vida na Terra foram alterados, teoricamente para os presentes no planeta remetente da mensagem, situado no aglomerado estelar M31 (que faz parte da galáxia de Andrômeda, distante entre 10 e 16 mil anos luz da Terra).

O DNA demonstrado é diferente do nosso, a estrutura física mostra seres mais baixos que a estatura média dos humanos, mas com uma caixa craniana consideravelmente maior. A resposta ainda apresenta o esquema do sistema solar dos alienígenas (com nove planetas, três deles colonizados pela raça comunicante).

Em 2013, foram identificados círculos em plantações de Ipuaçu (SC). A prefeitura da cidade recebeu dezenas de chamadas telefônicas de moradores assustados. O fenômeno se repete desde 2008. A cada ano, os desenhos geométricos se tornam maiores (da última vez, mais de 70 metros de diâmetro) e ganham novas formas. Ipuaçu se tornou um centro de peregrinação de especialistas e muitos curiosos.

Diferenças entre os círculos

O que diferencia um círculo artístico de um círculo verídico (sem concurso do homem, ao mesmo teoricamente) é a normalidade da irrigação na plantação, ausência de marcas como pneus, vestígios de combustível ou ferramentas de corte.

As plantas próximas aos círculos misteriosos apresentam mutações celulares (os caules apresentam crescimento diferente do esperado) e são encontrados restos de material magnético nos vegetais. Além disto, em alguns círculos são encontrados elementos não naturais, sintetizados apenas em laboratório. Já foi identificada a presença de itérbio, európio, vanádio, telúrio e bismuto.

Explicações sobre os círculos das plantações

O jeito mais fácil de explicar os círculos das plantações é afirmar que eles são simples fraudes, aplicadas por moradores da região, geralmente agricultores, para se divertirem ou para criar um factoide, para chamar a atenção. De fato, muitos deles são criados desta forma: a dupla britânica Doug & Dave (Doug Bower e Dave Chorley) e sua equipe admitiram ter feito centenas de desenhos em fazendas. O “trabalho” começou em 1978. A sofisticação cada vez maior das figuras geométricas demonstraria que os fraudadores estão melhorando as suas técnicas.

Mas a teoria científica que melhor explica a formação dos círculos das plantações é a contribuição dos ventos. Colunas giratórias, chamadas vórtices, forçam correntes de ar para o solo, fazendo os desenhos. Os vórtices são carregados de energia (que faz as partículas de pó brilharem), o que desvendaria o mistério das luzes avistadas antes do surgimento dos desenhos, como ocorreu em agosto de 2001, na Holanda: duas testemunhas descreveram tubos de luz descendo em um campo de vagem.

A energia pode ser natural (como a gerada por fungos que parasitam as plantações) ou artificial; a teoria mais bem aceita é a da presença de restos de artefatos produzidos pelo homem, tais como bombas atiradas durante as guerras mundiais. Isto, no entanto, não explicaria o surgimento de círculos em países que têm controle dos parasitas ou que nunca conheceram guerra em seus territórios.
Os vórtices são comuns em regiões montanhosas, como o sul da Inglaterra. Mas a dúvida continua: como uma simples lufada de ar poderia formar círculos perfeitos?

Outros especialistas afirmam que os círculos das plantações são formados por aviões e helicópteros, que geram correntes descendentes de ar. No entanto, as tentativas de recriação destas correntes, com vários tipos de voo, nunca conseguiu produzir as formas geométricas.

Há pesquisadores que apostam na energia da própria Terra: a radiação eletromagnética seria a causa dos círculos. Isto explicaria algumas alterações em pessoas que avistaram a formação, como formigamento, tontura, desorientação e zumbidos. A principal alteração orgânica registrada ocorreu com um grupo de mulheres que visitaram a formação Julia Set, perto de Stonehenge (Inglaterra): elas tiveram alterações no ciclo menstrual. Algumas das turistas, já na menopausa, voltaram a menstruar.

Para o gosto popular, no entanto, a explicação é clara: os círculos das plantações são criados por alienígenas e seus OVNIs (objetos voadores não identificados). Eles seriam uma espécie de “cartão de visitas” dos ETs, um indício de que eles estiveram por aqui. As diferenças nas formas significariam que os visitantes podem ser amistosos ou agressivos.

Siga-nos no Facebook
Receba atualizações do Blogadão no seu email,
ganhe brindes e participe de promoções!
É gratuito!

Comente no Facebook

Comente

Receba atualizações no seu email.
Participe de Promoções.