refinansiering | forbrukslånhjelpen | forbrukslån

Os maiores serial killers do mundo

Alguns crimes abalaram o mundo: conheça alguns serial killers que entraram para a história, pela violência de seus atos.

Serial killers são pessoas que matam pessoas com características em comum: podem ser prostitutas, crianças, e há casos em que as vítimas são escolhidas pela cor dos olhos e cabelos, ou por frequentarem determinados locais. Conheça um pouco da história dos maiores assassinos em série do mundo.

maiores-serial-killers

Gosta de Curiosidades? Entretenimento? Vídeos legais? Clique para curtir o Blogadão

Jack, o Estripador, é talvez o caso mais famoso. Em 1888, em Londres, um serial killer passou a perseguir prostitutas. Acredita-se que ele estrangulava as vítimas e, depois de mortas, extirpava órgãos. O assassino, que nunca foi identificado, deve ter tido formação médica.

Jack - O Estripador

Jack – O Estripador

Entre 1955 e 1964, as irmãs Delfina e Maria de Jesus Gonzalez, cafetinas mexicanas, contrataram dezenas de mulheres para seu bordel e mataram pelo menos 80 delas, quando consideravam que estavam velhas ou feias para o trabalho. Também mataram 11 homens e, no local, foram encontrados dezenas de fetos.

Delfina e Maria de Jesus Gonzalez

Delfina e Maria de Jesus Gonzalez

O homem que acumula o maior número de mortes oficialmente registrado é o colombiano Pedro Alonso Lopez, o Matador dos Andes. Filho de mãe prostituta, foi expulso de casa aos oito anos, por ter bolinado a irmã mais nova. Recolhido por um pedófilo, foi seviciado durante toda a adolescência. Aos 18 anos, foi espancado num cela de prisão e, para se vingar, matou três dos atacantes.

Pedro Alonso Lopez, o Matador dos Andes

Pedro Alonso Lopez, o Matador dos Andes

Quando deixou a cadeia, começou a matar meninas, no Peru. Mudou-se para Colômbia e Equador, matando em média três garotas por semana. Em 1978, já acumulava mais de cem mortes, mas as autoridades policiais relacionavam os crimes às práticas de escravização e prostituição, já que os crimes eram praticados em zonas de meretrício.

Quando foi preso, em 1980, confessou o extermínio com tanta naturalidade, que os investigadores relutaram em acreditar. Mas ele informou os locais onde os corpos estavam enterrados e detalhes das ocorrências. Estima-se que ele tenha matado 300 garotas, entre 1969 e 1980.

O colombiano Daniel Camargo Barbosa confessou ter estuprado 150 meninas nos anos 1980. Sua mãe morreu quando ele era criança e a madrasta o espancava, além de vesti-lo como menina. Foi assassinado na prisão em 1994, pelo primo de uma das suas vítimas.

Daniel Camargo Barbosa

Daniel Camargo Barbosa

Em 1999, Luís Alfredo Garavito foi preso e confessou ter estuprado e matado cerca de 150 meninos. “La Bestia”, como foi apelidado, tentou justificar as mortes por ter sido maltratado na infância, pelo pai.

Luís Alfredo Garavito

Luís Alfredo Garavito

Gary Ridgway está preso nos EUA pelo estupro e assassinato de 48 mulheres. Os casos ocorreram em 1982 e 1998 e a investigação com a sofisticação dos exames de DNA. O código genético do “Assassino de Green River” foi encontrado nos corpos de três jovens.

Gary Ridgway

Gary Ridgway

Em comum, todos eles sofreram ou testemunharam violência sexual ou maus-tratos e na infância. Isto não justifica os crimes, mas pode explicar o que dispara esta compulsão na mente das pessoas.

Siga-nos no Facebook
Receba atualizações do Blogadão no seu email,
ganhe brindes e participe de promoções!
É gratuito!

Comente no Facebook

Comente

Receba atualizações no seu email.
Participe de Promoções.