Os maiores e menores vertebrados do mundo

Entre os maiores e menores vertebrados do mundo, o tamanho dos primeiros excede em 3,1 mil vezes.

Os animais são classificados em diversas categorias – entre elas, vertebrados e invertebrados. Os primeiros são dotados de coluna vertebral e compreendem os mamíferos, aves, répteis, anfíbios e peixes (são 60 mil espécies já catalogadas). Os invertebrados são bastante mais numerosos: entre eles, figuram os insetos, crustáceos, miriápodes, aracnídeos, vermes e moluscos.

Os maiores animais vertebrados do mundo habitam os oceanos Atlântico, Pacífico, Índico e Antártico: são as baleias-azuis. Os indivíduos desta espécie atingem 30 metros de comprimento e podem pesar até 180 toneladas (são maiores do que todos os dinossauros, extintos definitivamente há 65 milhões de anos). Eles podem viver até 85 anos e estima-se entre 15 mil e 25 mil destes mamíferos – considerados em risco de serem extintos graças à caça indiscriminada, intensificada a partir do início do século XX. Existem pelo menos três subespécies, que também detêm o título de animais mais barulhentos do planeta.

Gosta de Curiosidades? Entretenimento? Vídeos legais? Clique para curtir o Blogadão

Maiores vertebrados

Confira os mamíferos campeões em tamanho:

• maior mamífero terrestre: elefante-africano, com quatro metros de comprimento, 3,5 metros de altura e 5,5 toneladas de peso. Os indivíduos pertencem a duas espécies, o elefante-da-savana e o elefante-da-floresta, que se diferenciam dos primos asiáticos pelas orelhas maiores e pela presença de dentes de marfim nas fêmeas (as presas chegam a pesar 70 kg);

elefante-africano

maior ave terrestre: avestruz, com peso entre 90 kg e 130 kg, mas já foram registrados animais em cativeiro com 155 kg. Os machos atingem 2,7 metros de altura. Uma curiosidade: os avestruzes são as únicas aves com apenas dois dedos em cada pata;

avestruz

maior ave voadora: albatroz-errante, que habita o oceano Antártico: os machos da Geórgia do Sul pesam até 12 quilos e partilham com os condores-dos-andes e marabus o título de “maior envergadura” (distância entre as extremidades das asas), de até 3,5 metros;

albatroz-errante

maior réptil: crocodilo-marinho. Os machos atingem sete metros de comprimento e pesam 1.200 quilos. As fêmeas são bem menores, raramente atingindo mais de 2,5 metros de comprimento. Eles também são campeões de velocidade, podendo correr a 16 km/h;

crocodilo-marinho

maior anfíbio: salamandra-gigante. Esta espécie asiática pode pesar 25 quilos e medir pouco menos de dois metros. Ela ocorre na China e Japão, em rios e lagos montanhosos. Frequentemente, indivíduos da espécie são adotados como animais de estimação e, na China, a carne é muito procurada, motivo por que a espécie está em risco crítico de ser extinta, de acordo com a IUCN (União Internacional para a Conservação da Natureza);

salamandra-gigante

maior peixe: tubarão-baleia, com 12 metros de comprimento (mas já foram encontrados peixes de 20 metros) e 13 toneladas de peso. Os indivíduos vivem em águas tropicais, entre as Filipinas, a ilha de Taiwan e o sul do Japão, mas, apesar do tamanho, são totalmente inofensivos para o homem, alimentando-se apenas de plâncton. Esta espécie de tubarão é muito visada pela indústria pesqueira e está classificada, pela IUCN, como em perigo. Os indivíduos vivem até 130 anos.

tubarão-baleia

Menores e recém-descobertos

A Papua-Nova Guiné é uma nação insular da Oceania. É considerado o país com maior diversidade cultural do mundo: estão catalogados 848 idiomas (12 deles não possuem nenhum falante vivo). A maior parte dos habitantes – 85% da população – vive em zonas rurais.

As ilhas são pouco exploradas e, por isto, a maioria das espécies animais e vegetais da Papua-Nova Guiné ainda não está classificada. Em 2009, zoólogos identificaram os menores vertebrados do mundo: as rãs-da-papua-nove-guiné.

Estes anfíbios, identificados em 2009, medem apenas 7,7 milímetros de comprimento (com as patas traseiras esticadas) – a mesma dimensão de uma mosca doméstica.

Elas se alimentam de insetos minúsculos, geralmente desprezados pelas outras espécies de rãs encontradas no arquipélago. Acredita-se que estas rãs tenham se adaptado para escapar dos predadores: elas passam praticamente despercebidas. Além disto, elas passam o tempo todo ocultadas debaixo das folhas que cobrem o solo.

 A rã-da-papua-nova-guiné, na comparação com uma moeda de R$ 1.

A rã-da-papua-nova-guiné, na comparação com uma moeda de R$ 1.

A espécie, desta forma, é três mil e cem vezes menor do que a baleia-azul. Tecnicamente, porém, as rãzinhas não são os menores vertebrados do mundo: os peixes machos da espécie Photocorynus spiniceps medem cinco milímetros, mas eles passam a maior parte da vida fundidos às fêmeas, que chegam a 50 milímetros de comprimento. Os indivíduos da espécie vivem a mais de mil metros de profundidade, no golfo do Panamá.

Siga-nos no Facebook
Receba atualizações do Blogadão no seu email,
ganhe brindes e participe de promoções!
É gratuito!

Comente no Facebook

Comente

Receba atualizações no seu email.
Participe de Promoções.