Íbis Sport Club: O pior time do mundo ganhou uma!

Íbis, que ganhou a fama de ser o pior time de futebol de todo o planeta, enfim ganhou a primeira na segundona pernambucana. Eram 50 meses sem ganhar um joguinho sequer

O modesto Íbis Sport Club ganhou a fama de ser o pior time de futebol do mundo no início dos anos 80. A equipe, fundada na cidade de Paulista, no interior de Pernambuco, conseguiu ficar quatro anos sem conquistar sequer uma vitória, indo parar no livro dos recordes por conta da “façanha”. Foram 54 partidas sem saber o que é marcar mais gols que o time adversário – 48 derrotas e seis empates. Em 1981, atingiu seu “auge”: perdeu todos os 23 jogos que disputou. Ali surgiu o apelido de pior do mundo, que ao invés de deixar seus poucos torcedores, jogadores e dirigentes bravos ou chateados, os enche de orgulho.

Gosta de Curiosidades? Entretenimento? Vídeos legais? Clique para curtir o Blogadão

Abaixo do escudo do time, na camiseta, há a frase “O Pior Time do Mundo”. O folclore é tanto que, embora a equipe entre em campo pensando em vencer, eles sabem que formar um time competitivo pode estragar a reputação do Íbis. A ideia da direção do clube é aproveitar que a Copa do Mundo de 2014 terá Recife como uma das sedes para estender a fama do Íbis mundialmente.

A vitória obtida na última quarta-feira foi a primeira da equipe em mais de quatro anos. Eram exatamente 50 meses sem conhecer um resultado positivo. A vítima foi o Jaguar, de Jaboatão dos Guararapes, em partida válida pela 10ª rodada da segunda divisão do Campeonato Pernambucano: a vitória foi por 3 a 2. Se o prestígio do Jaguar foi pelo ralo ao perder para o pior time do mundo, como fica o do Ferroviário do Cabo, equipe que foi ultrapassada pelo Íbis na classificação? Sim, o pior time do mundo não é o pior da atual segundona de Pernambuco. É o penúltimo colocado, entre 15 equipes. Ganhou um de seus dez jogos e já levou 22 gols.

O maior ídolo da história do Íbis é tão folclórico quanto o próprio clube: Mauro Shampoo, que foi o camisa 10 da equipe entre 1980 e 1990 e marcou… apenas um gol nesta década inteira. Seu apelido se deve à vasta cabeleira. Após encerrar a carreira de jogador, abriu um salão de barbearia em Recife, o qual contém recortes de jornais sobre o Íbis. Já estrelou até um documentário.

Mas nem tudo são espinhos. O melhor (ou pior, na visão de seus torcedores) momento da história do Íbis foi conquistar o título de vice-campeão da segunda divisão estadual em 1999, que o fez voltar para a elite pernambucana depois de sete anos de ausência. Este, aliás, é o cenário ideal: subir de divisão sem ser campeão, afinal, o pior time do mundo não pode ser o melhor em competição alguma que dispute. O folclore atraiu um time de associados famosos, como o ex-governador de Pernambuco, Miguel Arraes, o ex-vice-presidente da República, Marco Maciel, e, reza a lenda, o ex-presidente norte-americano Bill Clinton, que teria recebido uma carteirinha do clube em uma visita ao Brasil.

Pelo Íbis, já passaram três grandes ídolos da história do futebol brasileiro: Vavá, campeão mundial com a seleção em 1958 e 1962; Rildo, ídolo no Santos de Pelé nos anos 1960; e Bodinho, um dos maiores jogadores do Internacional na década de 1950. Talvez eles tenham jogado tanto quanto Mauro Shampoo. Talvez.

Siga-nos no Facebook
Receba atualizações do Blogadão no seu email,
ganhe brindes e participe de promoções!
É gratuito!

Comente no Facebook

Comente

Receba atualizações no seu email.
Participe de Promoções.