Hemorroidas – O que são? Quais os sintomas?

Doloridas ou assintomáticas, as hemorroidas são muito comuns; especialistas indicam que 80% da população sofreram com este mal.

Quase ninguém fala delas, o assunto é quase um tabu. Há muito tempo, a humanidade, ao menos no Ocidente, trata as hemorroidas como se fosse algo vergonhoso. Não é. E quanto antes o problema for diagnosticado e os cuidados iniciados, mais simples será conviver com elas.

O problema é extremamente comum: três quartos da população terão hemorroidas em algum momento de suas vidas. Muita gente tende a imaginar que se trata de um problema menos grave e, muitas vezes por vergonha, deixa de procurar auxílio médico.

Gosta de Curiosidades? Entretenimento? Vídeos legais? Clique para curtir o Blogadão

Se uma hemorroida desenvolver uma fissura (uma ferida ou úlcera no canal do ânus) ou formar coágulos, pode causar muita dor. Hemorroidas internas, as que prejudicam mais a saúde, normalmente não queimam nem incham (não há muitas terminações nos limites do reto, que provocam a dor intensa). As externas (um prolapso, ou a queda do intestino abaixo do nível normal) causam mais aflição ao paciente, mas só se tornam patológicas quando apresentam inflamações.

A palavra tem uma origem interessante: hemorroida, em grego, significa “escorrer sangue” (na Grécia Antiga, os casos deviam ser muito mais graves do que atualmente). Hemorroidas são estruturas vasculares presentes no canal anal (reto e ânus) que ajudam a controlar a passagem das fezes. No estado normal, estas estruturas funcionam como uma espécie de almofadas, uma rede que se bifurca e se recombina: é uma anastomose, a comunicação entre vários vasos sanguíneos.

O estado patológico é um nódulo retal: veias inchadas, inflamadas e doloridas na parte inicial do reto (a última porção dos intestinos, um longo canal entre o piloro e o ânus, que pode atingir mais de dez metros) ou na abertura anal, quando são chamadas hemorroidas externas.

Elas são muito comuns durante a gravidez e o pós-parto, em função do aumento da pressão das veias do ânus, que se incham, especialmente quando a mulher está sentada.

O sangramento, sintoma característico das hemorroidas (além da dor), não é exclusivo do problema. Ele pode ocorrer em quadros mais graves, como o câncer do reto. Muitas pessoas recorrem a tratamentos caseiros, sugeridos por parentes ou vizinhos, que podem mascarar os problemas. É preciso consultar um médico assim que surjam os sintomas, para evitar problemas mais graves.

O que são hemorroidas?

As hemorroidas são uma dilatação das veias do canal anal, que formam varizes hemorroidárias. As hemorroidas externas podem ser visíveis na borda anal, mas não constituem uma doença, nem provocam sintomas. As hemorroidas internas surgem a cerca de 1,5 ou 2 centímetros da mucosa anal (que reveste o reto logo acima do ânus).

Qualquer anomalia nesta região deve ser avaliada por um médico. Verrugas, bolinhas de sangue e saliências na região podem indicar problemas sérios. O câncer colorretal, nos estágios iniciais, provoca sangramentos. “Correr” do médico apenas mascara um problema mais sério.

Ao contrário do que diz o senso comum, comer pimenta não é a causa das hemorroidas. A causa exata do problema continua desconhecida. A pimenta (assim como o açúcar) é um fator desencadeante, por irritar as veias hemorroidárias, mas não é a causa.

A postura também não determina a formação de hemorroidas. Andamos na vertical ao menos desde o tempo do nosso ancestral Homo erectus e isto causa certo problema de gravidade. Há algum tempo, creditava-se o problema à permanência em pé por longos períodos, mas estudos indicam que não há relação entre a postura e o desenvolvimento das hemorroidas.

No entanto, o esforço para evacuar pode causar hemorroidas. Um longo tempo sentado no vaso sanitário força as veias do ânus e do reto, podendo provocar a dilatação irregular. Pessoas com problemas de prisão de ventre são especialmente suscetíveis, mas a predisposição genética é responsável pela maior parte dos casos.

Passar longos períodos sem sentar no trono também é prejudicial. Os intestinos ficam lotados com material fecal e sobra menos espaço para o sangue nos vasos da região. Armazenadas por mais tempo, as fezes se tornam mais duras e secas (o órgão continua cumprindo o seu papel se absorver água e nutrientes do alimento ingerido); isto determina um esforço maior para a sua eliminação.

Outras condições clínicas também estão relacionadas às hemorroidas. Trata-se de um problema bastante comum e as mulheres sofrem bastante, especialmente no último terço da gravidez e na recuperação pós-parto. A pressão exercida pelo bebê nas porções finais dos intestinos faz com que as veias se inchem e tornem-se doloridas (especialmente na posição sentada). Quase sempre, porém, a condição é revertida alguns meses depois do termo da gravidez.

O avanço da idade e o consequente desgaste natural dos vasos sanguíneos também causam hemorroidas. Permanecer sentado por longos períodos, a obesidade e a prática de sexo anal também prejudicam a integridade do cólon e do reto.

Os espirros, muito comuns nas gripes e resfriados, também forçam as veias e provocam hemorroidas. Infecções anais e dieta pobre em fibras também respondem por muitos casos. Algumas frutas, como o maracujá e a goiaba, e as leguminosas (feijão, lentilha, ervilha partilha, grão-de-bico, etc.) são importantes para regular o fluxo intestinal.

Por outro lado, algumas inflamações intestinais (como a diverticulite, a doença de Crohn e a síndrome do cólon irritável) demandam uma dieta pobre em fibras, para aliviar os movimentos naturais do órgão. Nestes casos, laticínios integrais, cascas, além de frutas e legumes crus, devem ficar de fora do cardápio. A dieta precisa ser acompanhada por um nutricionista ou gastroenterologista, porque a redução das fibras não pode ser adotada por mais de dois ou três dias.

Os sintomas das hemorroidas

O sintoma inicial das hemorroidas é o prurido anal, uma coceira quase irresistível na região do ânus. Ele pode ser provocado por outros fatores, como limpeza excessiva, umidade na área, consumo exagerado de café, chá mate, refrigerantes à base de cola, sucos cítricos (laranja, limão, etc.), além de fissuras, alergias, infestação por parasitas, dermatites e eczemas.

A dor anal surge quando o paciente está sentado. Pode ocorrer durante o uso do carro, sentado à escrivaninha para trabalhar ou em qualquer outra situação. Inchaço ao redor do ânus, presença de sangue vermelho vivo no papel higiênico, nas fezes ou no vaso sanitário, dor ao evacuar, presença de nódulos endurecidos ou doloridos em volta do ânus e inchaços na região são comuns.

Se as hemorroidas forem internas, no entanto, elas podem ser totalmente indolores. O único sintoma é o desconforto ao evacuar, que pode ser creditado, por exemplo, a uma prisão de ventre. Um check-up anual pode diagnosticar facilmente o problema, que pode ser corrigido rapidamente. Em alguns casos, porém, é preciso recorrer à cirurgia.

Siga-nos no Facebook
Receba atualizações do Blogadão no seu email,
ganhe brindes e participe de promoções!
É gratuito!

Comente no Facebook

Comente

Receba atualizações no seu email.
Participe de Promoções.