Falha na Antártica pode contribuir para o degelo

Falha sob o manto de gelo na Antártica pode contribuir para o aumento do nível do mar.

Cientistas encontraram uma enorme falha na Antártica. O acidente geográfico, do tamanho do Grand Canyon (no Colorado, EUA), está sob o manto de gelo e pode ser um dos motivos para a elevação do nível do mar. A retração do manto de gelo no oeste do continente pode ser responsável por 10% da elevação. O restante seria devido a fatores climáticos.

Gosta de Curiosidades? Entretenimento? Vídeos legais? Clique para curtir o Blogadão

O continente é coberto por uma camada de gelo com espessura de quatro quilômetros; na parte ocidental, ele está se derretendo mais rapidamente do que em qualquer outro ponto da Antártica. É o que afirma o glaciólogo americano Robert Bingham, chefe da equipe que encontrou a falha. O cientista disse ainda que “a forma da falha contribui para o degelo”.

A falha, que está sobre a corrente de gelo Ferigno, foi encontrada com auxílio de radares. Estende-se por 100 quilômetros de extensão, tem 1,5 quilômetro de profundidade e 10 quilômetros de largura. Pode ser parte de uma série de falhas, formadas antes de a Antártica ter sido coberta pelo gelo, quando as placas continentais começaram a se afastar. É um fenômeno semelhante ao que gerou os lagos Vitória, Albert e outros, situados no leste africano.

Antes deste estudo, motivado por alterações verificadas através de fotos de satélites, o vale onde estão as falhas só havia sido estudado uma vez, há mais de 40 anos. Os cientistas ficaram surpresos com a profundidade da falha, muito maior do que indicavam prospecções feitas por computador.

Há pouco menos de 40 milhões de anos, a temperatura na Antártica atingia os 10°C e exibia fauna e flora exuberantes, como indicam as análises de fósseis encontrados na região. O esfriamento foi progressivo: há pouco mais de 23 milhões de anos, ainda havia florestas de coníferas, semelhantes às do Canadá.

A revista inglesa “Nature” informou que a falta de dados sobre a topografia sob o gelo antártico dificultou a detecção e extensão exatas do degelo. As condições climáticas do Polo Sul dificultam bastante os estudos sobre as condições da região.

O rápido degelo, se não for controlado, pode provocar sérias inundações no extremo meridional da América do Sul, além de prejuízos menores em praticamente todo o hemisfério sul. Aliado a um possível aumento das temperaturas médias em todo o planeta, pode inundar várias ilhas do Pacífico e Índico e muitas cidades costeiras em apenas algumas gerações.

Siga-nos no Facebook
Receba atualizações do Blogadão no seu email,
ganhe brindes e participe de promoções!
É gratuito!

Comente no Facebook

Comente

Receba atualizações no seu email.
Participe de Promoções.