Drinks com vodka

O teor alcoólico pode chegar a 60%, mas drinks com vodka sempre estão em alta em festas e reuniões de amigos.

A vodka é a bebida nacional da Rússia. Significa “aguinha”, diminutivo de água. Sem cor e quase sem sabor, ela ajuda a aquecer nossos irmãos eslavos nos longos meses de frio (dez meses a cada ano). No entanto, no país, ela serve principalmente para encontros de amigos e chegou a substituir parcialmente a cachaça na tradicional caipirinha brasileira: limão, açúcar e aguardente. Mas, além de ser consumida pura, muitos outros drinks podem ser feitos com vodka.

Gosta de Curiosidades? Entretenimento? Vídeos legais? Clique para curtir o Blogadão

Trata-se de um destilado a partir de diversos cereais: cevada, milho, trigo, centeio e tubérculos (a batata é a mais usada) e, no Oriente (Japão e China), especialmente o arroz (não se conhece exatamente a origem da bebida). A vodka também pode ser obtida a partir de figos, ervas e outras frutas, mas, ao contrário do uísque, em que o sabor original é sempre realçado na produção (e reforçado em tonéis de madeira, como o carvalho), a vodka passa por diversos processos de filtragem para neutralizar os aromas.

Na verdade, na fermentação, a bebida é consideravelmente “fraca”, mas na destilação, (o processo final), surge um líquido transparente, fortemente alcoólico (na União Europeia, o teor é limitado á 37,5%), quase sem aroma nem sabor. Diz a lenda que vodka não deixa “bafo” (é mentira). É justamente por isto que a bebida se presta a muitos drinks com vodka – alguns deles até históricos.

Bebida, bebida, bebida

Talvez o mais famoso drink com vodka seja o hi-fi: uma dose de vodka, duas doses de suco de laranja e muito gelo. O segredo é “forrar” o fundo do copo (que precisa ser longo) com água antes de preparar a bebida. Se estiver seco, o destilado vai se precipitar, deixando o teor de álcool no fundo do copo.

O Black Russian é feito com licor de café: duas doses do licor, uma dose de vodka e gelo para completar. É bebido em uma única dose e, assim, o copo é pequeno.

É do gênero “one shot” (para tomar em apenas uma vez).

No Greyhound, misturam-se duas doses de suco de uva (50 ml) com uma dose de vodka. Em um copo longo, decorado com uma fatia de laranja – a aparência é fundamental – colocam-se as bebidas e completa-se com cubos de gelo.

O Vodka Martini é uma dos drinks mais clássicos. Foi eternizado por James Bond, o Agente 007. Surgiu já no primeiro livro, “Casino Royale”, e nas telas foi pedido 41 vezes. A receita: três doses de gim Gordon’s, uma de vodka, meia de kina lillet (uma bebida licorosa). De acordo com o espião, a bebida deve ser “batida, não mexida”. Basta colocar os ingredientes em uma coqueteleira e agitar com gelo.

O Martini tem uma versão ainda mais refrescante: o Martini Melancia: basta misturar 50 ml de vodka, uma fatia pequena de melancia e xarope de açúcar. Amasse a fatia da fruta, misture os demais ingredientes e gelo. Coe em um copo de coquetel previamente gelado.

Já o Green Apple Martini é feito com uma dose de vodka, meia dose de refrigerante Apple, um splash de suco de limão e uma fatia de maçã verde (para decorar). Os ingredientes vão para a coqueleira com bastante gelo e são batidos até gelar. Para dar um toque a mais, podem ser acrescentadas algumas gotas de licor de melão. O drink é servido coado, em copos para coquetel previamente gelados.

Apesar de os russos preferirem consumir a bebida pura, eles também inventam seus drinks. Um deles é a Balalaika: uma dose de vodka, meia de Cointreau (ou Triple Séc) e meia de suco de limão. Agite os ingredientes em uma coqueteleira e sirva em copos altos gelados.

Sex on the Beach também faz sucesso nas telinhas e telonas. É uma mistura de uma dose de vodka, outra de suco de laranja, meia dose de licor de pêssego, sete gotas de xarope de groselha e dois cubos de gelo moídos. É preciso misturar a vodka, o suco e o gelo em uma coqueteleira, com metade da groselha no fundo.

Depois de batido, coloque o drink em um copo alto e complete com o restante da groselha.

Com 50 ml de vodka, suco de um limão, uma colher (de chá) de grenadine e meia colher (de chá) de açúcar se faz a Margarida. Misture todos os ingredientes em uma coqueteleira, com bastante gelo. O drink pode ser servido coado em canecas de cerveja, enfeitado com cereja ao marasquino e uma fatia de laranja.

O Incendiário é para quem gosta de emoções fortes. Uma dose de vodka, três ou quatro gotas de pimenta tabasco e é só servir em um copo pequeno. O ideal é que a vodka esteja bem gelada, para ficar encorpada.

Para preparar o Amassa-Vampiro, são necessários quatro doses: uma de vodka, ourta de tequila, gim e Cointreau (ou Triple Séc), que devem ser misturados (e não batidos). Em seguida, acrescente suco de morango e gelo até completar os copos (altos).

A sanguinária

No século XVI, Henrique VIII, rei da Inglaterra, rompeu com o Vaticano para poder se divorciar e casar com Ana Bolena (ele era casado com Catarina de Aragão, princesa da poderosa Espanha, maior potência mundial). A sucessão de Henrique foi bastante polêmica.

Depois de sua morte, ascendeu ao trono a rainha Maria, filha de Catarina. Ela tentou restabelecer o Catolicismo na ilha. Tentativa mal sucedida, mas que rendeu muitas mortes aos protestantes ingleses (anglicanos). Maria ficou conhecida como “Maria Sanguinária”, por tantas pessoas que levou ao cadafalso. Ficou apenas cinco anos com a coroa (morreu e deixou o trono para sua meia-irmã, Elizabeth), mas deixou ao menos um legado: seu drink predileto, o Bloody Mary: suco de tomate temperado com sal, tabasco, molho inglês, pimenta do reino e às vezes um talo de salsão. E, claro, uma boa dose de vodka.

A vodka é uma bebida que se mistura com os mais diversos ingredientes. Pode ser usada para o preparo de bebidas leves ou mais fortes, para aquecer no inverno ou refrescar no verão. O ideal é experimentar e criar novas receitas de drinks. Vale a pena tentar com frutas, licores, leite condensado, chá ou café, sucos, refrescos e refrigerantes e outras bebidas alcoólicas. Mas é importante lembrar: em função de seu alto teor alcoólico, é preciso consumir com moderação e escolher boas marcas (existem opções nacionais excelentes). Caso contrário, a ressaca no dia seguinte é uma certeza absoluta. Se o consumo for no bar, o motorista da vez precisa ficar apenas no refrigerante.

Siga-nos no Facebook
Receba atualizações do Blogadão no seu email,
ganhe brindes e participe de promoções!
É gratuito!

Comente no Facebook

Comente

Receba atualizações no seu email.
Participe de Promoções.