Dicas para praticar esqui

O esqui é praticado desde a Pré-História e, com algumas dicas, e possível divertir-se bastante na neve.

Nossos ancestrais já praticavam o esqui na neve, utilizando pranchas feitas de ossos de grandes animais, como mamutes. Arqueólogos acharam peças deste formato datadas de 4.500 anos. De início, era apenas um meio para transportar pessoas e carga, mas descobrir a diversão deve ter sido bem rápido.

Gosta de Curiosidades? Entretenimento? Vídeos legais? Clique para curtir o Blogadão

Com algumas dicas, mesmo um iniciante pode praticar esqui, já que há instrutores para todas as faixas etárias (mas evite grupos com mais de seis alunos, em que o professor não pode dar a atenção necessária). É preciso começar nas pistas verdes (com pouca inclinação e mais curtas), indicadas para principiantes, e só passar para as azuis depois de adquirir um pouco de prática.

Em seguida vêm as pistas vermelhas e pretas, para atletas profissionais. Fique atento: ninguém o impede de pegar um lift (a cadeirinha que leva até o topo da montanha) para um trecho acidentado, com voos e saltos. Na maioria das vezes, a única forma de descer é esquiando.

O esporte é praticado na Europa, América do Norte, Argentina e Chile. Em regiões tropicais, temporariamente são instaladas rampas de gelo em alguns locais.

Antes de se decidir por férias na neve, com direito a esqui, no entanto, é preciso deixar o corpo em dia. Dificilmente um sedentário, que não pratica nenhum tipo de atividade física, vai apreciar a viagem. Mas não é preciso nenhum treinamento exagerado: basta correr, pedalar e caminhar por meia hora diária durante um mês antes do embarque.

O que levar na viagem

Em primeiro lugar, são necessários alguns cuidados para praticar esqui. As roupas são específicas: são impermeáveis e, por baixo delas, é preciso usar roupas de tecido térmico e secagem rápida, para poderem ser reutilizadas no dia seguinte. Estamos falando de um esporte de inverno e, no hotel, todos os apartamentos são aquecidos. Basta lavar no banheiro e deixar secar sobre o aquecedor, economizando a despesa com a lavanderia.

Tênis de corrida são a melhor opção para a prática de esqui, mas, quando não estiver praticando, troque os calçados. Os tênis têm sistema de ventilação que permite a respiração dos pés (e isto é muito bom), mas tenha certeza de que você não vai querer este “serviço” em pé sobre uma camada de metros de neve. Botas forradas e confortáveis são a melhor pedida para seus pés durante os intervalos. Não se podem esquecer as meias, que precisam ser de lã: as de algodão encharcam, dificultam os movimentos e podem provocar problemas sérios, inclusive necrose dos dedos.

No entanto, uma estação de esqui não limita seus atrativos à prática do esporte. Elas reúnem restaurantes, bares e boates em ambientes climatizados, com baladas até altas horas. Coloque na mala algumas roupas atraentes, para “ficar bem na foto”.

Leve peças coringa, que permitem várias combinações. Assim, não é preciso gastar com excesso de bagagem. Muitos hotéis oferecem piscinas térmicas e jacuzzis a céu aberto, que permitem um bom contraste entre o frio do ar e o calor da água. Confira os serviços do hotel e, se for o caso, não se esqueça das roupas de banho.

Antes de embarcar, é preciso contratar um plano de saúde internacional com cobertura para esportes radicais. Diversas corretoras com sede no Brasil oferecem o serviço. Verifique também se há carências, para não ficar desprevenido em caso de acidentes. Em geral, os pacotes de viagem incluem um seguro de acidentes.

Não é preciso comprar os equipamentos – pranchas e batons – logo na primeira viagem. Eles podem ser alugados na própria estação e quem não tem experiência pode adquirir material inadequado à pista e ao próprio tipo físico. Além disto, os equipamentos ficam muito mais baratos na baixa estação.

Cuidados com a saúde

Neve, muito frio e sérias queimaduras de Sol. É preciso usar protetor solar, labial e óculos escuros. Sem isto, problemas vão surgir, e piores do que um dia na praia sem proteção: desidratação, lábios rachados e febre local (sensação de calor em áreas específicas da pele). Em todas as estações de esqui o Sol brilha forte e reflete-se na camada de neve. Uma queimadura mais séria pode deixar o esquiador vários dias longe da montanha.

Já acabou o tempo em que hidratantes eram produtos femininos. Depois do banho, é preciso hidratar corpo e cabelos, de acordo com seu tipo de pele. Sem esta providência, podem ocorrer rachaduras dolorosas na pele e o cabelo fica “detonado”. Pés, mãos e rosto merecem uma atenção especial neste quesito.

É preciso hidratar-se internamente, também. Em grandes altitudes, o ar rarefeito é um “recado” para o organismo suar e não ressecar a pele. A perda de líquidos é muito alta (também em função do Sol brilhante) e, por isto, ter sempre à mão uma garrafa de água ou isotônico.

Por fim, o esqui é fácil e existem pistas adequadas a todos os praticantes. Mesmo assim, é um esporte radical e descer rampas de neve pode significar alguns tombos. Em média, são necessários três dias para pegar o jeito do esporte. Portanto, os iniciantes devem contratar um pacote com ao menos sete dias, para garantir a diversão. Não se esqueça do alongamento antes de esquiar.

Até por isto, inclua na bagagem algum produto para contusões. No exterior, os remédios só são vendidos sob prescrição médica e ninguém merece ficar dolorido ou ter que ir para o consultório apenas por causa de um tombo.

Siga-nos no Facebook
Receba atualizações do Blogadão no seu email,
ganhe brindes e participe de promoções!
É gratuito!

Comente no Facebook

Comente

Receba atualizações no seu email.
Participe de Promoções.