Dicas para dormir com alguém que ronca

Dividir a cama nesta situação pode ser um “pesadelo literal”, mas vamos dar algumas dicas para dormir com quem ronca.

O ronco é uma obstrução parcial das vias respiratórias durante o sono, que normalmente ocorre pela retração dos músculos da faringe. Isto dificulta a passagem do ar e provoca uma vibração. Na maioria das vezes, não é uma doença: o “roncador” dorme tranquilamente, mas as pessoas que dividem o quarto sofrem. Mas existem algumas maneiras para dormir com quem ronca.

Gosta de Curiosidades? Entretenimento? Vídeos legais? Clique para curtir o Blogadão

O ronco é provocado por diversas causas: as mais comuns são flacidez muscular na boca e garganta, hipertrofia das adenoides ou amídalas, rinite e sinusite, palato mole, úvula aumentada, queixo retraído e envelhecimento. Só é considerado patológico quando as vibrações e ruídos são muito intensos. Estas informações podem não ser úteis para os “roommates”, mas ajudarão a compreender algumas formas para neutralizar o incômodo.

Coisas de casal

Uma dica menos discreta para dormir com quem ronca, mas usada principalmente por casais já com certa intimidade na convivência. A mulher pode empurrar sutilmente o marido, para que ele se vire de lado. Caso ele volte a se deitar de costas – e os roncos retornarem com força total – uma medida mais drástica é costurar bolas de tênis nas costas da camisa do pijama. O incômodo fará o “roncador” deixar o decúbito dorsal e funciona inclusive como forma de reeducação postural.

Dormir mais cedo: esta dica funciona para todas as pessoas que não têm problemas de insônia (acordam várias vezes durante a noite). Quem já está em sono profundo dificilmente desperta com os ruídos à sua volta; alguns, depois de um período de adaptação, ignoram até os aviões cujas rotas insistem em passar sobre as nossas casas. Existe um efeito colateral, porém: se os roncos podem provocar problemas conjugais, para dormir mais cedo, é necessário repensar os horários do sexo.

Protetores de ouvido

É provavelmente a forma mais popular para dormir com alguém que ronca. Existem diversos tipos. Os mais comuns são os produzidos em espuma, mas existem opções mais eficazes em silicone, cera especial e outros tipos de matéria-prima.

Os produtores auriculares abafam não apenas os roncos, mas música alta no vizinho, parentes conversando na sala, cachorros latindo, etc. O grande problema é que os produtos disponíveis no mercado são comercializados apenas em alguns tamanhos específicos, que podem não preencher toda a entrada do ouvido interno – e o ronco continua entrando.

Felizmente, é possível consultar um otorrinolaringologista, para confeccionar protetores de ouvido sob medida. Faça um teste com os produtos à venda em farmácia e só se decida pela consulta com um especialista se perceber que eles atenuam os barulhos dos roncos.

Existem protetores auriculares específicos para o sono. Especialistas desaconselham o uso dos protetores para conforto no trabalho e para natação: eles podem pressionar estruturas do ouvido, provocando otite e quadros de labirintite.

Em casos de emergência – por exemplo, depois de uma noite romântica, a jovem descobre que o “rapaz perfeito” emite sons semelhantes aos de um carro de corrida –, o negócio é improvisar. Tufos de algodão não são ideais, pois eles se fragmentam e saem dos ouvidos com facilidade; se houver algum pedaço de espuma à mão, ele pode ser utilizado com resultado satisfatório. Deixe sempre um pedaço de ao menos 1 cm para fora do ouvido.

Fones de ouvido

Atualmente, os fones de ouvido são pequenos e não incomodam quando a cabeça é deitada no travesseiro (já existem até fone apropriados para dormir disponíveis no mercado). Uma boa dica para dormir com quem ronca é criar uma “trilha sonora do sono”.

O repertório precisa ser do gosto musical de quem vai experimentar esta técnica: é evidente que, para um fã de rock clássico, tentar dormir com funks não daria nada certo, seria um agravante do problema. Na hora de dormir, as músicas ajudam a nos desligarmos do mundo exterior.

O volume deve estar ajustado para neutralizar os roncos do parceiro. As músicas devem ser tranquilas, mas isto não quer dizer que seja necessário que sejam eruditas (ninguém conseguiria dormir ouvindo “1812”, de Tchaikovsky, por exemplo). No Youtube (www.youtube.com), existem trilhas prontas de até 12 horas (inclusive com acalantos para crianças). Também há opções como vento leve, o som tranquilo do oceano e até o canto das baleias.

O ruído branco

Esta dica serve especialmente para dormir com quem ronca em camas diferentes. O ruído branco é produzido pela combinação simultânea de sons de todas as frequências (é uma analogia com a cor branca, obtida pela combinação de todas as variações cromáticas).

Um exemplo: quando duas pessoas estão conversando, são totalmente perceptíveis as falas de cada uma delas. Aumente o grupo para seis pessoas e o entendimento fica difícil. Quando dez ou mais pessoas falam ao mesmo tempo, torna-se quase inaudível.

Com a atenção voltada o ruído branco – que nada mais é do que um som neutro –, os roncos do companheiro de quarto são atenuados ou até mesmo neutralizados. O ruído precisa ser constante, como o giro das pás de um ventilador ou uma chuva sem trovoadas (é por isto que dormir com as gotas tamborilando no telhado é tão relaxante).

Para parar de roncar

Além das causas do ronco, existem fatores de risco que podem determinar o problema ou agravar a situação. Alguns são de ordem física, como o refluxo gastroesofágico (condição em que parte dos ácidos do estômago sobe pelo esôfago, em vez de seguir para o intestino) e pescoço mais grosso e curto. O segundo fator pode ser hereditário ou redundar do desenvolvimento, mas o primeiro requer acompanhamento médico.

Outros fatores podem ser modificados. A obesidade é uma das principais causas e, quanto mais peso o roncador ganha, mais sonoros se tornam os ruídos. A solução, portanto, é emagrecer. Os hábitos de alimentação precisam ser observados: exagerar da comida – e também de bebidas alcoólicas – pouco antes de dormir é sinal quase certo que os roncos surgirão com muita vontade.

O alcoolismo, mesmo quando não ocorrem antes de ir para cama, instala ou piora gradualmente a condição, também associada ao tabagismo, ao uso de drogas ilícitas e a tratamentos com alguns tranquilizantes e calmantes.

Roncar quase sempre é motivo de piadas, mas a condição não é brincadeira. Também não significa que o roncador “ferrou no sono” e está dormindo como um bebê. Roncos podem ser sintomas de apneia do sono, que prejudicam o descanso e a qualidade de vida e de alguns problemas também graves. Se as pessoas à sua volta reclamam que você ronca, consulte um especialista.

Siga-nos no Facebook
Receba atualizações do Blogadão no seu email,
ganhe brindes e participe de promoções!
É gratuito!

Comente no Facebook

Comente

Receba atualizações no seu email.
Participe de Promoções.