Curiosidades impressionantes sobre o Peru

O berço dos incas, a principal civilização da América do Sul, guarda curiosidades impressionantes. Conheça o Peru.

O território peruano, conhecido pelos tesouros incas, cultura considerada como os principais artífices do maior Estado da América pré-colombiana, abrigou a civilização de Caral, uma das mais antigas do mundo. Caral, 200 quilômetros ao norte de Lima, capital do país, é o império mais antigo das Américas, contemporâneo do Egito, China e Mesopotâmia. As ruínas de Caral só foram descobertas em 1949.

“Peru”, em idioma quíchua, significa “abundância” e indica a ancianidade da região.

Gosta de Curiosidades? Entretenimento? Vídeos legais? Clique para curtir o Blogadão

Mesmo assim, o americano Paul Kosok, não pôde determinar a antiguidade do território quando atingiu Chupacigarro, cidade erguida sobre a cidade sagrada de Caral. Coube ao arquiteto peruano Carlos Williams, fazer um levantamento dos sítios arqueológicos do vale do Soube, apenas em 1975.

Made in China

Não é brincadeira: no vizinho Peru, que abriga a maior colônia chinesa da América Latina (a Chinatown de Lima é um dos maiores bairros chineses fora do imenso país asiático), o prato mais popular sofreu forte influência chinesa. É o lomo saltado, um prato à base de carne, tomates e batatas.

O lomo saltado: influência da China distante no Peru.

O lomo saltado: influência da China distante no Peru.

Nossos vizinhos levam a gastronomia a sério: existem programas sociais que retiram crianças das ruas para transformá-las em cozinheiros. No Peru, a culinária – conhecida internacionalmente pelo ceviche – é o equivalente ao futebol para os brasileiros.

O Peru também tem uma região (o equivalente peruano dos nossos Estados) chamada Amazonas. No entanto, o território possui apenas 39 mil quilômetros quadrados (pouco maior que Alagoas). Uma curiosidade, nessa região, no Período Cretáceo, viveu o carnotauro, um grande predador de oito metros de comprimento e três de altura. Pegadas fossilizadas estão lá para confirmar.

O temido carnotauro, cujos primeiros fósseis foram descobertos apenas em 1985.

O temido carnotauro, cujos primeiros fósseis foram descobertos apenas em 1985.

Ainda no Peru, com algum esforço, é possível conhecer Choquequirao. No idioma quíchua, significa “berço de ouro” e é o nome de uma cidade irmã de Cuzco, esculpida em pedra pelos incas, a mais de três mil metros acima do nível do mar. São dois dias de trilha para conhecer o tesouro histórico. Na cidade perdida, apenas 30 turistas são aceitos a cada dia – e, ainda assim, na alta estação.

A cidade inca de Choquequirao é maior do que Machu Picchu.

A cidade inca de Choquequirao é maior do que Machu Picchu.

Parente do camelo, a lhama é o animal-símbolo do Peru. É um animal divertido, que foi empregado como montaria pelos nazcas (que colonizaram a região há mil anos) e pelos incas (cuja civilização foi destroçada pelos conquistadores espanhóis, a partir do século XVI). No entanto, é melhor não se aproximar destes animais: quando estão irritados, eles chutam, dão coices, atacam com golpes de pescoço e cospem.

A lhama, um dos animais mais “esquentados” do mundo.

A lhama, um dos animais mais “esquentados” do mundo.

A capital

O Aeroporto Jorge Chávez, em Callao, a dez quilômetros de Lima (a capital peruana), é considerado o melhor da América do Sul. No ranking mundial, ocupa a 35ª colocação. Entre os aeroportos brasileiros, nenhum deles figura no Top 100 internacional.

O Aeroporto Internacional Jorge Chávez, na região metropolitana de Lima.

O Aeroporto Internacional Jorge Chávez, na região metropolitana de Lima.

O Circuito Mágico das Águas, em Lima, é uma das principais atrações da cidade. Instalado no Parque de La Reserva, é composto por 13 fontes e foi reconhecido pelo “Livro Guinness dos Recordes”. O circuito, nos dias de apresentação, é animado por efeitos de laser, música e luzes.

O surpreendente Circuito Mágico das Águas, um espetáculo de cores e luzes.

O surpreendente Circuito Mágico das Águas, um espetáculo de cores e luzes.

O jogo de luzes colabora para transformar o Circuito Mágico das Águas em uma obra de arte, com as luzes multicoloridas. As fontes de água são distribuídas por todo o parque, algumas apenas para admirar, outras para interação com os turistas – é possível até mergulhar nelas. As crianças fazem a festa, mas os adultos não ficam atrás.

O ambiente é natural e, ao mesmo tempo, contagiante. Há túneis de água literalmente impossíveis de reagir à interação. O circuito termina em fontes grandiosas, onde ocorre um show de imagens holográficas, que criam imagens surreais, animado por músicas peruanas. O Circuito Mágico das Águas é considerado o maior conjunto de fontes instalado em um parque público.

O Parque de La Reserva fica no centro histórico de Lima, longe da zona hoteleira. No entanto, há ônibus turísticos para chegar às fontes. O sistema de transportes públicos é caótico – os turistas precisam fugir dele. A entrada é de quatro nuevos soles (a moeda oficial peruana – um novo sol é equivalente a um real).

Táxi especial

Comuns na Índia e no sudeste asiático, os tuk-tuks estão presentes em diferentes cidades do Peru. O transporte é utilizado em curtas distâncias ou em passeios turísticos: os “motoristas” (muitos deles de ascendência chinesa) pilotam os veículos, ou simplesmente puxam os carros, mesmo em dias de Sol quente ou de chuva torrencial.

Uma frota de tuk-tuks aguardando passageiros.

Uma frota de tuk-tuks aguardando passageiros.

Os triciclos são uma verdadeira febre no Peru. Uma possibilidade é conhecer as ruínas arqueológicas a bordo de um tuk-tuk. Em Ollantaytambo, por exemplo, as visitas ocorrem apenas nestes táxis. Os condutores, no entanto, ainda não descobriram o potencial turístico: a corrida custa apenas três nuevos soles.

Um tuk-tuk é uma espécie de riquixá motorizado ou movido a tração humana, adotado como atração turística em muitas localidades europeias e até mesmo no Brasil (eles são comuns na região de Ribeirão Preto, SP). O papa Bento XVI adotou um destes veículos para deslocamentos breves, que atualmente está em Portugal e é muito procurado para casamentos.

Ollantaytambo, na região de Urubamba, é uma relíquia inca e a única cidade tipicamente incaica, sem influência da arquitetura europeia, ainda habitada. Em seus palácios, vivem descendentes das casas nobres destroçadas pelos conquistadores espanhóis. A cidade fica 90 quilômetros a sudeste de Cuzco e é um dos pontos de partida para Machu Picchu.

O Templo do Sol em Ollantaytambo, importante cidade do Império Inca.

O Templo do Sol em Ollantaytambo, importante cidade do Império Inca.

Cuzco significa “umbigo do mundo”, mesmo nome adotado pelas capitais do antigo Império chinês, e foi construída a 3.400 metros acima do nível do mar. A cidade fica no sudeste do vale de Huantay, o vale sagrado dos incas. Alguns arqueólogos costumam atribuir a fundação da cidade a Manco Capac, no século XI ou XII.

O primeiro rei

Manco Capac, filho de Huayna Capac (ou do deus Sol, de acordo com algumas tradições). Ele foi o primeiro rei de Cuzco. Na lenda inty, Manco Capac é filho do deus-sol, enviado pela divindade para trazer um povo dourado destinado a dominar a região.

Na tradição viracocha, ele teria se aliado a povos habitantes da região; uma variação deste mito dá conta de que, enciumado com seus irmãos, Manco Capac teria matado os seus irmãos, tornando-se o único rei de Cuzco. Entre os irmãos, figurava Mama Ocilo, esposa do filho do deus-sol e deusa das mulheres, do casamento, da Lua e da fertilidade.

Representação de Manco Capac, fundador de diversas cidades incas.

Representação de Manco Capac, fundador de diversas cidades incas.

Depois do fim do império, em 1532, o conquistador espanhol Francisco Pizarro invadiu e saqueou a cidade. A maioria dos edifícios incas foi destruída pelas autoridades espanholas, com apoio da Igreja Católica, mas ainda é possível avistar as muralhas de granito e, especialmente, o Templo do Sol.

Caipirinha

O pisco sour é a caipirinha peruana, feita à base de pisco (com baixo teor alcoólico, de 38%), bebida feita com uvas brancas. O drink leva clara de ovo, suco de limão, pimenta, xarope de açúcar, angostura (um bitter, adicionado tardiamente à bebida) e gelo.

Um pisco sour, pronto para brindes peruanos.

Um pisco sour, pronto para brindes peruanos.

A angostura é produzida exclusivamente em Trinidad-Tobago – mais especificamente, na capital deste país do Caribe, Port of Spain. O destilado foi criado em 1824, na Venezuela (que perdeu a receita), e leva o antigo nome da Ciudad Bolívar.

Milhos, milhos e milhos

O Peru é famoso por cultivar diversos tipos de milho. Ao todo, são mais de 50 variedades do cereal sul-americano. No país, os grãos não se prestam apenas à culinária: são utilizados em refrigerantes: o inka-kola é uma bebida amarelada bastante comum no país.

O milho morado (negro), uma das 50 variedades peruanas.

O milho morado (negro), uma das 50 variedades peruanas.

Apesar de não ser muito consumido no Brasil, o milho é um cereal de excelência. Ele pode ser consumido in natura, em pães e em sucos. No Peru, o milho ainda é produzido para fazer a chicha morada, uma bebida fermentada da época do Império Inca.

A chicha: parece um chá, mas apresenta forte teor alcoólico.

A chicha: parece um chá, mas apresenta forte teor alcoólico.

Siga-nos no Facebook
Receba atualizações do Blogadão no seu email,
ganhe brindes e participe de promoções!
É gratuito!

Comente no Facebook

01 Comentário

Comente

Receba atualizações no seu email.
Participe de Promoções.