Cuidados com a pele e o cabelo no verão

No verão, o excesso de exposição ao sol e à água do mar e da piscina exigem cuidados especiais com a pele e o cabelo.

Cabelo e pele bem cuidados transmitem aparência jovem e saudável, melhoram os relacionamentos e aumentam a autoestima. No verão, como geralmente passamos mais tempo ao ar livre, curtindo parques, praias e piscinas, a exposição ao sol, ao cloro e ao sal da água podem prejudicar bastante o visual e mesmo a saúde.

Gosta de Curiosidades? Entretenimento? Vídeos legais? Clique para curtir o Blogadão

Os efeitos são cumulativos. Ninguém (ou quase ninguém) sai de um banho de mar com os cabelos ressecados, ou passa uma manhã na praia e fica com bolhas na pele.

Gradativamente, porém, sem os cuidados necessários, isto fatalmente vai acontecer com qualquer pessoa. Além disto, no médio prazo, pode provocar problemas dermatológicos graves, como o câncer de pele.

O protetor solar

Este é um cuidado básico para sair em qualquer dia do ano e não apenas no verão. Mesmo em dias nublados, o protetor deve ser aplicado: se há claridade, há emissão de raios solares, entre eles os ultravioleta A e B, responsáveis por várias doenças de pele e envelhecimento precoce, com o aprofundamento das linhas de expressão.

O protetor solar deve ser aplicado em todas as áreas do corpo que serão expostas à luz solar. Existem protetores especiais para os lábios (para as mulheres, algumas marcas de batom contêm a proteção) e também para os cabelos. O FPS – fator de proteção solar – varia de acordo com a cor e as características da pessoa.

Pessoas mais sensíveis podem optar por um bloqueador, que impede a entrada da radiação na pele (os protetores combatem por ação química a ação dos raios UV depois que eles penetram a epiderme). Alérgicos e crianças também devem usar bloqueadores. O único problema será o look “fantasminha” durante todo o verão.

Os protetores de sol devem ser aplicados de acordo com as instruções fornecidas pelo fabricante. Em geral, precisam ser reaplicados a cada duas horas. Em praias e piscinas, é preciso reaplicar sempre que sair da água. Alguns produtos podem ser aplicados com o corpo úmido.

Os hidratantes

Chegando em casa, logo após o banho – em que os cabelos devem ser tratados com xampu e condicionador – deve-se aplicar condicionador capilar, de corpo e de rosto, de acordo com as características de cada um. É muito comum esquecer determinadas áreas, como os pés, a parte de trás dos joelhos e as orelhas, que acabam ficando ressecadas.

Mulheres e pessoas de cabelos longos (especialmente os secos e normais) devem fazer uma hidratação num salão a cada 15 dias durante o verão, para garantir a boa saúde capilar. Durante as férias de verão, aconselha-se ficar longe de chapinhas e secadores.
Importante: de nada adianta utilizar os melhores produtos disponíveis no mercado e esquecer que a principal forma de hidratação começa de dentro para fora: tomar muitos líquidos diariamente, especialmente ao ar livre. A água é a melhor opção e sucos podem complementar. Quem pratica esportes pode escolher entre isotônicos e água de coco.

Corrigindo os estragos
Muita gente chega à praia e no primeiro dia já quer conquistar um belo bronzeado. Este é um grande erro: o máximo que vão conseguir é pele vermelha e ardência. O bronzeamento ideal é obtido aos poucos: cinco a dez minutos sobre a esteira garantem um visual atraente.

Quem abusou, no entanto, precisa remediar. Se surgirem bolhas, um médico deve ser consultado. Nada de furá-las com agulhas e drená-las. É uma reação inflamatória e este “tratamento” pode abrir as portas para infecções sérias.

Se a pele está vermelha e sensível, deve-se tomar um banho morno com sabonete neutro e aplicar hidratante que contenha babosa (aloe vera), camomila ou ureia na sua formulação. Se o problema persistir, pomadas a base de corticosteroides podem ser a solução.

Quem abusa dos banhos de sol costuma apresentar descamação de pele. É preciso resistir à tentação de retirar a pele solta. Do contrário, as camadas mais recentes da pele, mais claras, vão provocar um efeito manchado e, no médio prazo, sardas. Além disso, a prática também predispõe a infecções.

Para casos de descamação, a esfoliação é um recurso apenas para depois das férias, cerca de dez dias depois de ter dado adeus à praia ou à piscina. Antes dos passeios e viagens, a esfoliação é contraindicada, porque retira a proteção natural da pele.

Quem descuida da proteção solar pode ganhar manchas como prêmio. Casos mais leves podem ser tratados com ácido retinoico (sempre receitado por um médico). Peelings químicos e físicos e sessões de laser auxiliam a restaurar a pele.

Umidade e calor propiciam o surgimento de micoses (nos dias frios, o processo é o mesmo: meias grossas e sapatos fechados fornecem os dois ingredientes para a proliferação de bactérias). Se surgirem manchas brancas ou escuras na pele, descolamento, rachaduras ou manchas nas unhas, é preciso procurar um dermatologista.

Como se vê, atitudes simples, como o uso correto do protetor solar e dos hidratantes previne vários problemas. Como diz a sabedoria popular, é melhor prevenir do que remediar. Boa sorte.

Siga-nos no Facebook
Receba atualizações do Blogadão no seu email,
ganhe brindes e participe de promoções!
É gratuito!

Comente no Facebook

Comente

Receba atualizações no seu email.
Participe de Promoções.