Corrimentos: Saiba mais e tire suas dúvidas

É comum que a mulher fique preocupada quando corrimentos são recorrentes. Neste caso, é preciso entender quais são os tipos de corrimentos e como tratá-los.

Os corrimentos costumam ocorrer por conta da alteração do pH da vagina e geralmente estão associados à infecções, fazendo com que boa parte das mulheres fique preocupada e querendo saber como tratar esse tipo de ocorrência.

Gosta de Curiosidades? Entretenimento? Vídeos legais? Clique para curtir o Blogadão

O primeiro passo para evitar todo e qualquer corrimento é uma higiene correta e eficaz. Como o pH da vagina é àcido, o ideal é lavar a região com produtos que não alterem o pH, como sabonetes neutros, sendo que essa higiene deve ser feita ao menos duas vezes por dia e sempre após uma relação sexual. É comum que a mulher tenha um pouco de corrimento e, por conta disto, utilize protetores diários. Porém, é necessário lembrar que ao menos para dormir, não se use o protetor diário.

Isso porque a região da vagina precisa “respirar” e, neste caso, o protetor diário ao invés de auxiliar pode prejudicar a mulher, ocorrendo um aumento de secreção quando o uso deste item é feito de forma contínua e sem interrupções. Nos dias de maior calor, é muito comum ir à piscina ou praia e continuar com o biquíni molhado, até que ele seque. Esse ato não é recomendado, pois pode aumentar ainda mais as secreções e pontencializar uma infecção, sendo o correto tomar um banho e se secar bem após a saída do mar ou da piscina.

Veja abaixo alguns tipos de corrimento e suas especificações, para facilitar a identificação dos mesmos.

Candida Albicans – esse tipo de corrimento é de coloração esbranquiçada, pastoso, odor àcido e pode causar dor e dificuldade para urinar.

Trichomoas vaginalis – caracteriza-se pela vermelhidão vagina, dor para urinar e para a introdução na relação sexual, além do líquido amarelo esverdado na região.

Gardnerela vaginalis – a principal característica é um corrimento de cor acizentada e que piora depois de uma relação sexual, inclusive no aspecto de odor.

É comum que muitas mulheres confundam esses corrimentos com lubrificação natural. Em alguns casos, nem seus parceiros sexuais sabem identificar esses corrimentos e, ainda que sejam seguido de forte odor, podem achar que é normal ou ter medo de comentar sobre. Justamente por isso é muito importante ter a rotina de fazer exames ginecológicos. Todos esses tipos de corrimentos são facilmente identificados em exames de rotina e o tratamento pode ser rápido, via oral e local, evitando uma complicação maior ou até mesmo a contaminação do parceiro sexual com algum tipo de bactéria.

Siga-nos no Facebook
Receba atualizações do Blogadão no seu email,
ganhe brindes e participe de promoções!
É gratuito!

Comente no Facebook

Comente

Receba atualizações no seu email.
Participe de Promoções.