As regras do handebol

O handebol foi criado em 1919 e inicialmente era um esporte feminino. Conheça as regras do handebol.

O esporte foi criado na Alemanha e, no início, era jogado em gramados, com campos de dimensões semelhantes ao do atual futebol. As equipes eram formadas por 11 atletas, ao contrário dos atuais sete. Hoje, o jogo é disputado em quadras de 40 metros de comprimento por 20 metros de largura. O gol fica no centro das linhas de fundo e mede dois metros de altura por três metros de largura. A área de gol é traçada a seis metros da trave. Dê uma checada nas demais regras do handebol.

Entre equipes adultas, a duração do jogo é de dois tempos de 30 minutos, controlado por dois árbitros, com direitos iguais (não há um juiz principal). No caso de competições, se houver necessidade de prorrogações, são dois tempos de cinco minutos. O jogo tem início com o apito do árbitro central e termina com o sinal do cronometrista. Faltas e condutas antidesportivas devem ser cobradas mesmo depois do fim do tempo regulamentar. O cronômetro é paralisado durante a cobrança de infrações e também no tempo em que a bola fica fora da quadra.

Gosta de Curiosidades? Entretenimento? Vídeos legais? Clique para curtir o Blogadão

Não há limite de substituições. Equipes oficiais contam com 12 jogadores (dois goleiros), que podem entrar em quadra a qualquer momento, a critério do técnico. O cronômetro não é paralisado, mas os árbitros, o secretário e o cronometrista precisam ficar atentos para verificar a troca.

O goleiro e o gol: o goleiro é o único atleta que pode permanecer na área de gol e também o único que pode tocar a bola com os pés (mas apenas dentro de sua área, para defender um gol; ele precisa sair jogando com as mãos). O gol só é validado quando a bola ultrapassa totalmente a linha: se ela quicar e sair da trave, o tento não é considerado também é anulado quando o jogador lança a bola depois que o árbitro determina a paralisação do cronômetro. O atacante pode invadir a área de gol durante um salto, mas a bola deve ser atirada antes que os pés toquem o chão. O goleiro pode atuar na linha, mas não pode sair atacando desde a sua área. Um goleiro não pode substituir qualquer outro atleta, mas qualquer jogador da equipe pode atuar como goleiro.

O manejo: é permitido tocar a bola de qualquer maneira com as mãos, braços, tronco, cabeça e coxas. O tempo máximo para segurar a bola é de três segundos (é permitido segurá-la mesmo que esteja no chão) e o atleta só pode dar três passos com a bola nas mãos. É possível das três passos, driblar um adversário e das outros três passos. O drible, apesar de permitido, torna o jogo mais lento e por isto os atletas preferem passar a bola. Lances com os pés não são permitidos.

Os jogadores podem bloquear o caminho do adversário e tentar tomar a bola com as mãos e braços, com as mãos espalmadas, não importa de que lado (bater com o punho cerrado é proibido).

Não há tempo máximo de posse de bola, mas se os árbitros entenderem que o time não está buscando o gol, ele pode dar ataque passivo e transferir a posse de bola.

Tiro de meta: ocorre quando a equipe atacante lança a bola pela linha de funda ou quando o goleiro a agarra em sua área de gol. O tiro de meta é cobrado dentro desta área e só o goleiro pode repor a bola em jogo.

Escanteio: quando a equipe defensora lança a bola pela linha de fundo, para impedir um ataque, ou quando o goleiro espalma a bola pela mesma linha. Da mesma forma que no futebol, o lance é cobrado na intersecção das linhas de fundo e lateral. No entanto, quando um jogador faz um lançamento em direção ao gol e a bola sai, mesmo se tocar acidentalmente num defensor, é cobrado tiro de meta.

Lance lateral: ocorre quando uma equipe lança a bola pelos lados da quadra. O cobrador deve manter um pé sobre a linha e o outro fora da quadra. Se isto não ocorrer, um dos árbitros pode determinar nova cobrança ou aplicar uma reversão, dando direito de cobrança à equipe adversária.

Bola ao chão: quando ocorre uma falta simultânea (os dois jogadores do lance cometem infrações) ou quando o jogo é interrompido por qualquer motivo extraquadra. A bola é imobilizada e dois atletas tentam obter a posse.

Lance de sete metros: é ordenado depois de uma falta grave ou quando um jogador atrasa a bola para o goleiro, estando este em sua área. No momento da cobrança, os jogadores das duas equipes devem permanecer atrás da linha de nove metros até que ocorra o lançamento. O cobrador precisa manter os pés antes da linha de sete metros.

Lance livre: nos seguintes casos, é determinado o lance livre: entrada ou saída irregular de um atleta, mau comportamento, conduta antidesportiva, faltas cometidas dentro da área de gol, faltas do goleiro, conduta irregular nas cobranças de tiro de meta, escanteio, lateral e lance de sete metros e lançamento intencional para a própria área de defesa.

Faltas: são marcadas após toques com cotovelos ou joelhos e empurrões. No caso de obstrução, quando um atacante se tem chances claras de gol, é marcado um lance de sete metros. Os árbitros podem punir inclusive os jogadores que estão no banco, por mau comportamento ou conduta antidesportiva.

Exclusões: os árbitros podem dar exclusões nos casos de substituição irregular (quando um atleta entra em quadra antes que seu colega tenha ultrapassado a linha), reincidência em infrações sancionadas, não devolução da bola quando é marcada uma falta e conduta antidesportiva. Em casos excepcionais, como uma agressão física, a exclusão pode ser dada sem que tenha havido advertência. O tempo é de dois minutos, controlado pelo cronometrista. Quando um atleta é punido três vezes com exclusões, ele é desqualificado automaticamente.

Siga-nos no Facebook
Receba atualizações do Blogadão no seu email,
ganhe brindes e participe de promoções!
É gratuito!

Comente no Facebook

Comente

Receba atualizações no seu email.
Participe de Promoções.