lån på dagen | forbrukslånhjelpen | forbrukslån billig

As grandes zebras do futebol brasileiro

Clubes do Sudeste e do Sul dominam cenário dos principais títulos do nosso futebol. O que não impediu alguns clubes menos cotados de causarem algumas surpresas.

O Campeonato Brasileiro é conhecido por ser um dos mais disputados do mundo, onde vários times entram teoricamente como candidatos ao título. Os 42 títulos nacionais disputados até hoje foram conquistados por nada menos que 17 clubes. São 2,4 títulos por campeão. Em Portugal, por exemplo, os 78 campeonatos nacionais até hoje ocorridos foram vencidos por apenas cinco clubes – média de 15,6 títulos por campeão. Três destes clubes ganharam 76 dos 78 troféus.

O caráter equilibrado do nosso futebol já propiciou algumas zebras históricas. Elas já ocorreram nos mais diversos campeonatos. Aqui, elencamos algumas delas. Porque um dia também é o da caça, certo?

Gosta de Curiosidades? Entretenimento? Vídeos legais? Clique para curtir o Blogadão

Campeonato Brasileiro 1977: o Operário-MS conquistou um honroso quarto lugar na competição, caindo apenas nas semifinais para o São Paulo, que seria o campeão nacional. A equipe garantiu o direito de chegar entre os quatro melhores do país ao conquistar a primeira colocação em um hexagonal que incluía o Palmeiras.

Campeonato Brasileiro 1985: foi um campeonato cheio de surpresas. O Brasil de Pelotas, por exemplo, chegou às semifinais ao derrotar o Flamengo de Zico por 2 a 0, no interior gaúcho. Na decisão, chegaram o pouco cotado Bangu e o irregular Coritiba, que tinha, inclusive, saldo de gols negativo. Deu Coxa, nos pênaltis, após empate de 1 a 1 no tempo normal.

Campeonato Paulista 1986: a Inter de Limeira conquistou o título paulista, em uma das maiores zebras da história do futebol do estado. Eliminou o Santos nas semifinais e ganhou do Palmeiras na decisão.

Campeonato Paulista 1990: Bragantino e Novorizontino fizeram a final mais inesperada da história do Paulistão. Deu Bragantino: o empate em 1 a 1 no tempo normal favoreceu a quem tinha melhor campanha.

Campeonato Brasileiro 1991: o inexpressivo Bragantino, do interior paulista, fez a melhor campanha da primeira fase, eliminou o Fluminense nas semifinais, mas perdeu na final para o São Paulo.

Copa do Brasil 1991: o Criciúma sagrou-se campeão superando o Grêmio na final. Sob o comando de Luiz Felipe Scolari, o Tigre conquistou o primeiro (e até hoje único) título nacional para Santa Catarina, e ainda disputou a Libertadores no ano seguinte.

Campeonato Brasileiro 1993: o regulamento confuso previa seis vagas às fases finais para os 16 maiores do país e duas para os demais 16 participantes. O Vitória entrou neste segundo bolo, mas foi campeão de sua chave contra os favoritos Corinthians, Flamengo e Santos. Na final, porém, não resistiu ao supertime do Palmeiras.

Copa do Brasil 1994: o Ceará foi a grande surpresa. Nas oitavas, eliminou o timaço do Palmeiras, então campeão brasileiro. Nas quartas, passou pelo Inter. Nas semifinais, eliminou o Linhares, outra zebra da competição. Na final, porém, perdeu o título para o Grêmio.

Campeonato Gaúcho 1998: nas quartas de final, o Grêmio perdeu para o Brasil de Pelotas, no Olímpico, caindo prematuramente. Na decisão, o Juventude venceu o Inter por 3 a 1 e segurou um 0 a 0 no Beira-Rio. Foi o primeiro título que escapou das mãos da Dupla Gre-Nal em 44 anos no Gauchão.

Copa do Brasil 1999: a zebra da vez foi o Juventude. O time da Serra Gaúcha eliminou Corinthians e Bahia, chegando às semifinais contra o Inter. Com uma histórica goleada de 4 a 0 em pleno Beira-Rio, classificou-se para a decisão, contra o Botafogo. Ganhou por 2 a 1 em Caxias do Sul e segurou um 0 a 0 no Maracanã lotado, confirmando o título.

Campeonato Gaúcho 2000: o então milionário Grêmio de Ronaldinho, Zinho, Paulo Nunes e Astrada perdeu o Gauchão para o Caxias. Levou 3 a 0 na Serra e empatou em 0 a 0 em Porto Alegre. Tite era o técnico do time caxiense.

Campeonato Brasileiro 2000 e 2001: o desconhecido São Caetano chegou às finais dos dois Brasileirões de forma consecutiva. Foi vice-campeão em ambas: na primeira, perdeu para o Vasco; na segunda, para o Atlético-PR.

Copa do Brasil 2002: recém fundado, o Brasiliense foi a zebra da vez. Eliminou o Fluminense nas quartas e o Atlético-MG nas semifinais, chegando à decisão contra o Corinthians. A equipe perdeu para o Timão, mas reclama até hoje de erros da arbitragem que lhe prejudicaram no jogo de ida, no Pacaembu (derrota por 2 a 1).

Copa do Brasil 2004: o Santo André surpreendeu o Brasil ao ganhar o título diante do Flamengo. Na final, em pleno Maracanã, vitória por 2 a 0.

Copa do Brasil 2005: no ano seguinte, foi o Flu a vítima das zebras na Copa do Brasil. O Paulista, de Jundiaí, eliminara Internacional e Cruzeiro, fazendo o Tricolor Carioca chegar vacinado à decisão. Não adiantou: derrota por 2 a 0 na ida, empate em 0 a 0 na volta.

Siga-nos no Facebook
Receba atualizações do Blogadão no seu email,
ganhe brindes e participe de promoções!
É gratuito!

Comente no Facebook

01 Comentário

  • O Paysandu, o Papão da Curuzu, disputou a Libertadores, e no dia 24.04.2003 ganhou do Boca em la Bombonera…. por 1X0, perdendo, depois em casa por 4X2 e sendo desclassificado.

Comente

Receba atualizações no seu email.
Participe de Promoções.